sicnot

Perfil

País

INEM garante que terá mais 50 meios de socorro até ao final do ano

O INEM vai investir, até ao fim do ano, cerca de 22 milhões de euros em mais de 50 novos meios de socorro e emergência médica, informou hoje a instituição, em comunicado.

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) precisa que se trata de duas novas viaturas de emergência e reanimação (VMER), sete ambulâncias de suporte imediato de vida, 13 ambulâncias de emergência médica, cinco motos de emergência e 25 postos de emergência médica (ambulâncias).

Justifica o INEM que o investimento inicial é de cerca de 3,5 milhões de euros, a que acresce o custo operacional anual de 19 milhões.

O Instituto diz que as duas VMER (veiculo de intervenção pré-hospitalar) irão para Amadora/Sintra e Barreiro e que as sete ambulâncias de suporte imediato de vida irão para Monção (Viana do Castelo), Oliveira de Azeméis (Aveiro), Alcobaça (Leiria), São Pedro do Sul (Viseu), Alcácer do Sal (Setúbal), Coruche (Santarém) e Montijo (Setúbal).

As 13 ambulâncias serão também distribuídas um pouco por todo o país e as cinco motos de emergência médica irão para Viana do Castelo, Vila Nova de Gaia, Leiria, Seixal e Évora.

Os 25 postos de emergência (ambulâncias de socorro equipadas com elementos de proteção civil ou do sistema de emergência médica) serão igualmente distribuídos por vários concelhos ao longo do país, de Vila Nova da Cerveira, em Viana do Castelo, ao Alandroal, em Évora.

Segundo o comunicado, o INEM tem atualmente 42 VMER, 39 ambulâncias de suporte imediato de vida, 56 de emergência, oito motos e 275 postos (ambulâncias). A este dispositivo juntam-se 180 postos de reserva e 12 helicópteros, num total de 612 meios.

O INEM é o organismo do Ministério da Saúde responsável por coordenar o funcionamento, no território de Portugal Continental, de um Sistema Integrado de Emergência Médica, de forma a garantir aos sinistrados ou vítimas de doença súbita a pronta e correta prestação de cuidados de saúde, lembra-se no comunicado.

Desde o início do mês que os trabalhadores do INEM se recusam a fazer horas extraordinárias, em protesto pela falta de pagamento de subsídios e de horas extra e de mais cortes no salário. Sindicato e comissão de trabalhadores alertaram que o socorro à população, especialmente na região de Lisboa, poderia estar em risco. O INEM negou que estivesse em risco.







Lusa
  • Costa desvaloriza ameaça e mantém planos de visita a Angola
    2:27

    Economia

    O governo angolano reagiu duramente à acusação do Ministério público portugues contra o vice-presidente de Angola. Luanda diz que a acusação é um sério ataque à República de Angola que pode perturbar as relações entre os dois paises. António Costa desvaloriza a ameaça e mantém os planos de uma visita a Angola na primavera.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.