sicnot

Perfil

País

INEM garante que terá mais 50 meios de socorro até ao final do ano

O INEM vai investir, até ao fim do ano, cerca de 22 milhões de euros em mais de 50 novos meios de socorro e emergência médica, informou hoje a instituição, em comunicado.

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) precisa que se trata de duas novas viaturas de emergência e reanimação (VMER), sete ambulâncias de suporte imediato de vida, 13 ambulâncias de emergência médica, cinco motos de emergência e 25 postos de emergência médica (ambulâncias).

Justifica o INEM que o investimento inicial é de cerca de 3,5 milhões de euros, a que acresce o custo operacional anual de 19 milhões.

O Instituto diz que as duas VMER (veiculo de intervenção pré-hospitalar) irão para Amadora/Sintra e Barreiro e que as sete ambulâncias de suporte imediato de vida irão para Monção (Viana do Castelo), Oliveira de Azeméis (Aveiro), Alcobaça (Leiria), São Pedro do Sul (Viseu), Alcácer do Sal (Setúbal), Coruche (Santarém) e Montijo (Setúbal).

As 13 ambulâncias serão também distribuídas um pouco por todo o país e as cinco motos de emergência médica irão para Viana do Castelo, Vila Nova de Gaia, Leiria, Seixal e Évora.

Os 25 postos de emergência (ambulâncias de socorro equipadas com elementos de proteção civil ou do sistema de emergência médica) serão igualmente distribuídos por vários concelhos ao longo do país, de Vila Nova da Cerveira, em Viana do Castelo, ao Alandroal, em Évora.

Segundo o comunicado, o INEM tem atualmente 42 VMER, 39 ambulâncias de suporte imediato de vida, 56 de emergência, oito motos e 275 postos (ambulâncias). A este dispositivo juntam-se 180 postos de reserva e 12 helicópteros, num total de 612 meios.

O INEM é o organismo do Ministério da Saúde responsável por coordenar o funcionamento, no território de Portugal Continental, de um Sistema Integrado de Emergência Médica, de forma a garantir aos sinistrados ou vítimas de doença súbita a pronta e correta prestação de cuidados de saúde, lembra-se no comunicado.

Desde o início do mês que os trabalhadores do INEM se recusam a fazer horas extraordinárias, em protesto pela falta de pagamento de subsídios e de horas extra e de mais cortes no salário. Sindicato e comissão de trabalhadores alertaram que o socorro à população, especialmente na região de Lisboa, poderia estar em risco. O INEM negou que estivesse em risco.







Lusa
  • Inglaterra estreia-se com vitória suada frente à Tunísia

    Mundial 2018 / Tunísia

    A seleção inglesa estreou-se no Mundial 2018 com um triunfo sobre a Tunísia por 2-1, com o golo da vitória a ser apontado já para lá do minuto 90. O jogo foi referente à 1.ª jornada do grupo G. Veja aqui os golos e os lances que marcaram o encontro.

  • O melhor golo do 5.º dia de Mundial

    Desporto

    Numa escolha feita pelos jornalistas de desporto e do site da SIC Notícias, mostramos-lhe o melhor golo deste quinto dia de Mundial. Foi apontado por Dries Mertens, na vitória da Bélgica sobre o Panamá por 3-0.

  • Salto de Cristiano Ronaldo inspira dança afro-beat

    Desporto

    Uma música humorística afro-beat, publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

  • Ronaldo no País dos Sovietes: As religiões praticadas na Rússia
    1:55
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Pai de Meghan Markle lamenta ser "nota de rodapé" no casamento real
    2:03
  • Quando as crianças fazem das suas... os pais é que pagam

    Mundo

    Quando as crianças fazem das suas, restam os pais para as castigar ou, em alguns casos, para sofrer as consequências desses atos. Quem o pode dizer é um casal norte-americano, que recebeu uma fatura de 132 mil dólares (cerca de 114 mil euros), depois de o filho ter derrubado uma estátua num centro comunitário.

    SIC