sicnot

Perfil

País

Aguiar-Branco defende que crise grega deve servir de lição aos que fazem promessas em Portugal

O ministro da Defesa Nacional, José Pedro Aguiar-Branco, disse esta quarta-feira que a crise grega deve servir de "ensinamento" para aqueles que, em Portugal, "debitam" promessas que sabem não poder cumprir.

José Pedro Aguiar-Branco frisou que existe uma "genuína preocupação" com a crise grega para a qual deseja um "final feliz".

José Pedro Aguiar-Branco frisou que existe uma "genuína preocupação" com a crise grega para a qual deseja um "final feliz".

Juan Martinez Espinosa / Lusa

"Aconselho os que hoje fazem promessas em Portugal tenham devida atenção porque depois não as cumprindo acontecem situações iguais às da Grécia", afirmou o ministro à margem da inauguração da Fábrica Caetano Aeronautic, em Vila Nova de Gaia.

O governante lembrou que em campanha eleitoral o Syriza (partido grego de esquerda radical), atualmente no poder liderado por Alexis Tsipras, fez um "mar de promessas" que, agora, não pode cumprir.

"Quem faz promessas tem de ter a certeza que as pode cumprir porque isso acarreta consequências", realçou, referindo ainda que "o que se retira de ensinamento para cá é que quem faz promessas tem de ter certezas que as pode cumprir". 

José Pedro Aguiar-Branco frisou que existe uma "genuína preocupação" com a crise grega para a qual deseja um "final feliz". 

A Grécia atravessa atualmente um período conturbado ao nível das contas públicas, não tendo ainda chegado a acordo com os credores internacionais mesmo com cerca de quatro meses de negociações já volvidos com o Governo do Syriza liderado por Alexis Tsipras.
Lusa
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15