sicnot

Perfil

País

Plataforma Sindical espera milhares de professores em manifestação no sábado

Milhares de professores, educadores e investigadores são esperados para a manifestação promovida no sábado em Lisboa pela Plataforma Sindical integrada pela FENPROF, contra o desgaste a que estão sujeitos os docentes e a municipalização da educação.

Lusa

 Os professores tencionam exigir a aposentação ao fim de 36 anos de serviço, defendendo tratar-se de uma profissão de grande desgaste ao nível físico e psicológico, agravada nos últimos anos com a saída de dezenas de docentes do sistema, devido às aposentações e rescisões.

"O desgaste é brutal, dizer que há mais 4.000 professores nos quadros é uma farsa. Nestes quatro anos saíram 24.000 professores, essencialmente por aposentação, e reduziram 20.000 professores contratados", disse à agência Lusa o secretário-geral da Federação Nacional dos Professores (FENPROF), a organização mais representativa da plataforma, integrada por outras sete organizações sindicais.

A municipalização da educação será o outro grande ponto de contestação nesta iniciativa, com os sindicatos a exigirem a suspensão do processo de transferência de competências para as autarquias neste setor.

"Não somos contra a descentralização e a autonomia das escolas, mas entendemos que em fim de legislatura, o governo não tem legitimidade para determinar um processo de quatro anos", afirmou o dirigente da FENPROF.

Os professores vão concentrar-se na rotunda do Marquês de Pombal e descer a avenida da Liberdade até aos Restauradores, encurtando o percurso inicialmente pensado, devido a outras atividades programadas para o Rossio, no âmbito das festas de Lisboa.

Outras reivindicações estarão presentes no protesto, ao nível dos horários e condições de trabalho, o direito ao emprego e a carreira.

Lusa
  • Fenprof entrega mais documentos para juntar à queixa contra o Instituto de Avaliação Educativa
    0:24

    País

    A Fenprof entregou, esta tarde na Polícia Judiciária, mais documentos para juntar à queixa que fez contra o Instituto de Avaliação Educativa, o organismo do ministério da educação que coordena as provas de inglês do nono ano. Mário Nogueira entregou correio eletrónico recebido por alguns professores, nos quais lhes seriam oferecidos descontos numa livraria em troca da publicidade feita a manuais de preparação para os exames. Os documentos irão juntar-se ao inquérito que corre na Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Judiciária.Em causa estão suspeitas de irregularidades participadas pela Fenprof, na parceria entre o instituto de Avaliação Educativa e quatro empresas, parceiras nos exames de inglês do Cambridge.

  • Fenprof acusa Crato de denegrir professores
    0:23

    País

    A Federação Nacional de Professores acusa o Governo de usar a prova de avaliação para denegrir os professores. O secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira, diz que o ministério nada faz em relação às deficiências na formação docente.