sicnot

Perfil

País

Quase todas as regiões do país com risco muito alto de exposição à radiação UV

Todas as regiões do país, com exceção de Ponta Delgada (Açores), apresentam hoje risco muito alto de exposição à radiação ultravioleta (UV), informou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

© Kai Pfaffenbach / Reuters

De acordo com o IPMA, Aveiro, Beja, Bragança, Braga, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Faro, Funchal, Guarda, Leiria, Lisboa, Penhas Douradas, Porto, Portalegre, Sagres, Santarém, Setúbal, Sines, Viana do Castelo, Viseu, Vila Real, Porto Santo, Santa Cruz das Flores, Angra do Heroísmo e Horta (Açores) estão hoje com risco muito alto de exposição à radiação ultravioleta (UV).

Segundo o IPMA, Ponta Delgada, ilha São Miguel, Açores, apresenta hoje risco alto de exposição à radiação UV.

Para as regiões com níveis muito altos e altos, o IPMA recomenda o uso de óculos de sol com filtro UV, chapéu, 't-shirt', guarda-sol, protetor solar e evitar a exposição das crianças ao sol.

De acordo com o IPMA, a radiação ultravioleta pode causar graves prejuízos para a saúde se o nível exceder os limites de segurança, sendo que o índice desta radiação apresenta cinco níveis, entre o baixo e o extremo, com onze.

O IPMA prevê para hoje no continente céu pouco nublado ou limpo, vento fraco a moderado do quadrante leste, soprando moderado de noroeste no litoral oeste durante a tarde, e pequena subida de temperatura.

Em Lisboa as temperaturas vão oscilar entre os 22 e os 32 graus Celsius, em Leiria entre 14 e 33, no Porto entre 19 e 31, em Bragança e Viseu entre 11 e 29, em Coimbra entre 18 e 32, na Guarda entre 11 e 27, em Castelo Branco entre 17 e 32, em Santarém entre 18 e 36, em Setúbal entre 17 e 32, em Évora entre 16 e 35, em Beja entre 18 e 36 e em Faro entre 20 e 28.


Lusa
  • Governo garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo de ajuda alimentar
    1:18

    País

    O ministro da Solidariedade e Segurança Social garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo europeu de ajuda alimentar. Vieira da Silva respondeu, esta manhã, à notícia avançada pelo Jornal de Notícias que dava conta de que, este ano, o país teria desperdiçado 28 milhões de euros de um fundo europeu porque o programa ainda não está operacional.