sicnot

Perfil

País

Sindicato do Ministério Público afirma que ministra da Justiça "morreu politicamente"

O secretário-geral do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público (SMPP) Filipe Preces disse esta sexta-feira que a ministra da Justiça "morreu politicamente" ao não apresentar a proposta de Estatuto do Ministério Público.

A ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz.

A ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz.

Lusa

Em declarações aos jornalistas, em conferência de imprensa realizada na Figueira da Foz, Filipe Preces frisou que o SMPP desconhece "em absoluto" a proposta da tutela para o Estatuto do Ministério Público.  

"Nós desconhecemos em absoluto um documento que a senhora ministra diz ter. Mas dizendo tê-lo, nunca o exibiu para que pudéssemos discutir, analisar e ver que soluções é que são consagradas", alegou. 

Adiantou que o sindicato aguarda "serenamente" pela proposta mas possui "perfeita consciência de que os 'timings' políticos para a aprovação do Estatuto exauriram-se". 

"Não temos vãs esperanças de que haja um qualquer retrocesso que possa significar a abertura de um processo negocial. A senhora ministra, politicamente e isso o sindicato tem que o dizer, morreu", afirmou Filipe Preces. 

Considerou que Paula Teixeira da Cruz ", não é, neste momento, uma interlocutora válida do sindicato", dizendo que foi a ministra que se colocou nessa posição (alegadamente por recusar reunir com a estrutura sindical) levando ao apelo para que o primeiro-ministro intervenha, hoje feito pelo SMMP.

Já o presidente do SMMP, António Ventinhas, disse que processo do Estatuto "acabou" e que a ministra "deixou de dialogar" com o sindicato e o ministério "deixou de atender chamadas" da direção da estrutura sindical. 

Na conferência de imprensa, realizada antes da sessão de abertura das "Jornadas Sobre a Corrupção", promovidas pelo SMMP, Associação Sindical dos Juízes Portugueses e Conselho Distrital de Coimbra da Ordem dos Advogados, Filipe Preces aplaudiu a postura de Paula Teixeira da Cruz em votar contra a procuradoria europeia (por a ministra considerar que poderia por em causa a autonomia do Ministério Público) mas disse estranhar que a atitude da ministra da Justiça "não seja consequente com a sua politica interna". 

"Provavelmente, outras questões haverá de política interna conexas com a área da Justiça, que determinam esse comportamento, se quisermos, quase esquizofrénico da senhora ministra que lá fora defende uma coisa e cá dentro faz outra", acusou Filipe Preces.
Lusa
  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.