sicnot

Perfil

País

Autarcas do Porto e Gaia marcam arranque de São João com encontro na ponte Luiz I

Os autarcas do Porto e de Gaia marcaram hoje o arranque da festa popular de São João com um encontro a meio da ponte Luiz I, brindando com vinho do Porto a uma "grande região". 

Paulo Duarte

"Existe uma excelente relação entre o Porto e Vila Nova de Gaia, fazendo as divergências parte do passado", disse o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira.

O autarca do outro lado da margem do rio Douro, Eduardo Vítor Rodrigues, salientou que "Gaia não seria forte sem um Porto forte e o Porto não seria forte sem uma Gaia forte".

O independente Rui Moreira foi comer as tradicionais sardinhas ao Centro Social do Barredo, junto ao elevador da Lada, a acompanhar vereadores, presidentes da junta, o autarca de Faro Rogério Bacalhau e embaixadores dos EUA e de França.

À semelhança do que aconteceu em 2014, a Câmara de Gaia promoveu uma sardinhada num espaço do Cais de Gaia onde, entre os convidados, está o líder do PS, António Costa.

"Se quiseres comer sardinha boa é ali na Coreia do Norte", disse, em tom de brincadeira, Rui Moreira ao autarca de Gaia. 

Na resposta, o socialista Eduardo Vítor Rodrigues frisou que a sardinha é boa "em todo o lado" e que a região norte tem "muita a ganhar" quando as duas cidades se juntam. 

No conjunto, os autarcas esperam uma noite "longa, divertida, alegre e feliz", concordando ser um momento de "grande atração turística".

Nesta festa popular, com o Porto a oferecer um concerto de José Cid e Gaia a apresentar a fadista Mariza, as cidades unem-se às 00:00 com fogo-de-artifício, produção conjunta dos dois municípios de cerca de um quarto de hora de espetáculo de luz e som, cujo investimento rondou os 50 mil euros.

"Nesta noite, as pessoas sentem que estão em comunhão", frisaram os autarcas.

Os bailes e arraias populares e espontâneos podem ser apreciados um pouco por todo o lado.






Lusa
  • Governo vai avaliar situação da associação Raríssimas
    1:41

    País

    O Governo promete avaliar a situação da instituição Raríssimas e agir em conformidade, depois da denúncia de alegadas irregularidades na gestão financeira. A presidente da instituição terá usado dinheiro da Raríssimas para gastos pessoais como vestidos de alta-costura e alimentação. Esta é uma instituição que apoia doentes e famílias que convivem de perto com doenças raras. 

  • Diáconos permanentes: quem são e que cargo ocupam na comunidade católica
    10:04
  • Múmia quase intacta descoberta em Luxor
    1:23

    Mundo

    O Egito anunciou, este sábado, a descoberta de dois pequenos túmulos com 3.500 anos na cidade de Luxor. Foram também encontrados uma múmia em bom estado de conservação, uma estátua do deus Ámon Ra e centenas de artefactos de madeira e cerâmica ou pinturas intactas.