sicnot

Perfil

País

Dez jovens condenados por assaltos em Bragança

Um grupo de dez jovens foi hoje condenado a penas entre dois e oito anos e meio de prisão por vários assaltos a residências e estabelecimentos comerciais de Bragança.

© Chip East / Reuters

O tribunal de Bragança decidiu suspender a execução das penas a metade dos arguidos e aplicar prisão efetiva aos restantes cinco com condenações mais pesadas.

Do grupo fazem parte sete homens e três mulheres com idades entre os 20 e os 36 anos que estavam acusados de furto qualificado em oito assaltos a residências, um restaurante e uma casa de mobílias de onde desapareceram valores na ordem dos 150 mil euros.

A leitura da sentença já tinha sido adiada três vezes desde março.

Um dos arguidos hoje condenados encontra-se em prisão preventiva à ordem de outro processo relacionado com crimes do mesmo género.

O tribunal ponderou para a aplicação das penas as idades dos envolvidos, o facto de os assaltos terem quase todos ocorridos em casas e o alarme social que lançaram em Bragança.

De acordo com a acusação, os arguidos agiam em conjunto e com conhecimento da rotina das vítimas.

Nos assaltos que terão ocorrido nos anos de 2012 e 2013, os indivíduos alegadamente furtaram desde ouro, a joias, cheques, material informático, a dinheiro.

Alguns dos valores em causa estavam guardados em cofres.





Lusa
  • A Verdade sobre a Mentira
    35:13
  • Elemento dos Super Dragões com medida de coação mais gravosa
    1:37

    Desporto

    Os seis arguidos da Operação Jogo Duplo, que investiga crimes de corrupção e viciação de resultados na II Liga de futebol, saíram em liberdade. A medida de coação mais gravosa é para um membro da claque Super Dragões, que terá de pagar uma caução de 5 mil euros.

  • Mais de 120 pessoas com hepatite A
    2:23

    País

    O surto de hepatite A já infetou 128 pessoas, 60 das quais estão internadas em hospitais de Lisboa e Coimbra. A Direção-Geral da saúde recomenda a vacinação apenas aos familiares dos doentes. Apesar de não haver ruptura de stocks, há farmácias que não têm vacinas.

  • Sobreviventes de Mossul relatam mutilações e execuções do Daesh
    1:32