sicnot

Perfil

País

Hasteada bandeira azul na praia da Figueirinha, em Setúbal

O vereador do Ambiente na Câmara Municipal de Setúbal, Manuel Pisco, afirmou hoje na cerimónia de hastear da bandeira azul na praia da Figueirinha que a interdição daquela zona balnear no passado fim de semana "foi um caso pontual".

"Houve alguma ocorrência pontual, que não conseguimos identificar, mas estamos todos convencidos de que foi mesmo pontual e que não se vai repetir. A Figueirinha tem a qualidade da água que sempre tem tido e que dá para ir ao banho descansado", disse o autarca.

"A qualidade da água da Figueirinha, desde há 10 anos, tem sido boa ou excelente. E nos últimos anos tem sido sempre excelente", lembrou o vereador da Câmara de Setúbal, salientando que se trata de uma praia que, pela qualidade da água, também mereceu a distinção de `praia de ouro´, atribuída pela Quercus (Associação para a Conservação da Natureza).

A praia da Figueirinha esteve interdita a banhos no passado fim de semana por terem sido detetados valores anormais da bactéria 'E. coli' nas análises à qualidade da água, mas os resultados da contra-análise, conhecidos no domingo, já revelavam valores normais da bactéria, o que permitiu o levantamento imediato da proibição de banhos.

Questionado pela Lusa, o vereador Manuel Pisco disse que a autarquia sadina não tenciona apresentar a candidatura de outras praias do concelho à bandeira azul, símbolo de praia de qualidade da União Europeia. 

"Não temos essa expetativa, devido às limitações no acesso a outras praias, como Galapos e o Portinho da Arrábida, ao contrário do que se verifica na praia da Figueirinha, que também tem a classificação de praia acessível", disse Manuel Pisco.


Lusa
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50
  • Primeira casa reconstruída de raiz depois dos incêndios de Pedrógão já foi entregue
    1:49
  • Saiba que efeitos causam os diferentes tipos de bebidas alcoólicas

    Mundo

    As diferentes bebidas alcoólicas alteram e moldam o estado de espírito de formas distintas, concluiu um estudo científico sobre consumo de álcool e emoções. Segundo esta pesquisa, quem ingere bebidas espirituosas pode sentir-se irritado, sexy ou triste, enquanto quem opta pelo vinho tinto ou cerveja terá mais probabilidade de se sentir descontraído.