sicnot

Perfil

País

Regularizados cinco processos em 152 irregulares da Lusófona

A Universidade Lusófona regularizou apenas cinco dos 152 casos de processos académicos com atribuição irregular de equivalências e créditos, seis meses após o Ministério da Educação ter exigido a sua anulação.

Em dezembro do ano passado, o secretário de Estado do Ensino Superior, José Ferreira Gomes, deu à Universidade Lusófona de Lisboa um prazo de 60 dias para regularizar os 152 processos de creditação académica e profissional irregulares detetados pela Inspeção Geral de Educação (IGEC), que analisou 398 processos entre os anos 2006 e 2012. 

A Lusófona garantiu na terça-feira, num esclarecimento enviado às redações, que "todas as ações" que a universidade tinha de executar para cumprir o despacho do MEC "estão concluídas". No entanto, dados da IGEC da passada semana apontavam para notificações de alunos ainda por fazer e cassações de diplomas por concretizar.

Dos 152 processos apenas 105 resultaram na emissão de diplomas ou certificados e até à passada semana só 26 haviam sido recolhidos pela Lusófona, segundo a IGEC, que ressalva que o prazo para a cassação dos documentos -- estipulado pela universidade e não pelo MEC -- ainda não chegou ao fim.

Dos 105 ex-alunos com diploma atribuído, a Lusófona, até 12 de junho, não tinha conseguido notificar quatro dos visados por diferentes razões tais como a ausência do país, não comparência na audiência prévia na universidade para informar sobre os procedimentos em curso, e a decisão de frequentar a cadeira com creditações mal atribuídas.

O quarto caso é o do ex-ministro Miguel Relvas, cujo processo de anulação de licenciatura em Ciência Política e Relações Internacionais aguarda decisão judicial, tendo sido este o processo responsável por chamar a atenção para as equivalências atribuídas pela Lusófona.

Um total de 120 alunos notificados pronunciaram-se junto da instituição sobre as suas intenções, com 102 a manifestarem interesse em regularizar o seu processo académico, seja através da frequência de cadeiras ou através de novas creditações, sendo que em todos os casos está implícito o reingresso nos cursos.

Os cinco casos já regularizados pela instituição foram feitos com recurso a essas creditações: em três casos foi considerada a formação realizada em outros estabelecimentos de ensino superior; num outro caso foram atribuídos créditos pela formação realizada no âmbito de cursos não conferentes de grau académico em estabelecimentos de ensino superior, até ao limite de 50% do total dos créditos do ciclo de estudos e um pela experiência profissional devidamente comprovada, até ao limite de um terço do total dos créditos do ciclo de estudos.

Todos estes casos estão previstos no diploma que regula a creditação académica e profissional, revisto quando foi tornado público o processo de Miguel Relvas e que foi uma resposta da tutela para tentar limitar creditações abusivas.

O último relatório da IGEC remetido à tutela, e ainda em análise pelo gabinete de José Ferreira Gomes, considera que universidade cumpriu o dever de "esclarecer as razões das graves falhas" detetadas e apresentar medidas para "credibilizar os mecanismos de autoavaliação".

No entanto, a IGEC sublinha que não foi cumprida uma das exigências, que passava por ouvir todos os intervenientes das 54 Comissões Específicas de Creditação envolvidas na atribuição de equivalências e créditos, tendo a universidade ouvido menos de metade dos envolvidos.


Lusa

  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • Proteção Civil aponta falhas do SIRESP, operadora diz que esteve à altura do fogo
    4:22
  • Temer pode cair menos de um ano depois da queda de Dilma
    3:06
  • Imagens do resgate de crianças feridas num bombardeamento na Síria
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos acusam o regime sírio de estar a preparar um novo ataque químico e avisam Bashar al-Assad que vai pagar caro se o concretizar. No terreno, os ataques aéreos continuam a fazer vítimas civis. Da periferia de Damasco chegam imagens dramáticas do resgate de duas crianças feridas num bombardeamento.

  • Mulher atira moedas para o motor do avião por superstição

    Mundo

    As superstições levam as pessoas a fazer coisas bizarras e até, mesmo, perigosas. Este foi o caso de uma mulher chinesa que decidiu atirar moedas para o motor de um avião, para garantir boa sorte na viagem, que estava prestes a fazer. Contudo, a ação obrigou ao atraso do voo que partia de Xangai, numa companhia aérea chinesa.

  • Modelo italiana atacada com ácido volta ao trabalho

    Mundo

    Gessica Notaro, antiga concorrente do concurso Miss Itália, já regressou ao trabalho como treinadora de leões marinhos, cinco meses depois de ter sido atacada com ácido, alegadamento pelo ex-namorado, Jorge Edson Tavares. Gessica Notaro diz que quer inspirar e encorajar outras mulheres a lutar contra o assédio e o bullying nas relações.

  • Quem é a mulher que diz ser filha de Salvador Dalí

    Cultura

    Maria Pilar Abel Martínez nasceu em 1956 e será o alegado fruto de um caso entre a sua mãe e Salvador Dalí. Um tribunal de Madrid ordenou a exumação do cadáver do pintor e a obtenção de amostras, de modo a determinar se a mulher espanhola é mesmo filha de Dalí.