sicnot

Perfil

País

17 de maio é o dia nacional contra a homofobia e a transfobia

A Assembleia da República aprovou hoje, por unanimidade, a consagração do dia 17 de maio como "dia nacional contra a homofobia e a transfobia", proposta através de um projeto de resolução do PS.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Marko Djurica / Reuters

Com a aprovação deste projeto de resolução, o parlamento compromete-se também a "empenhar-se no cumprimento dos compromissos nacionais e internacionais de combate à discriminação homofóbica e transfóbica".

O texto do projeto do PS refere que o dia 17 de maio "é celebrado em todo o mundo e reconhecido oficialmente em diversos Estados e na própria União Europeia como a data em que se assinala o longo percurso do combate à discriminação homofóbica e transfóbica e a luta pelo reconhecimento de direitos face à lei, recordando o momento em que, em 1990, a Organização Mundial de Saúde retirou a homossexualidade da sua classificação internacional de doenças, derrubando uma barreira simultaneamente real e simbólica de preconceito homofóbico".

Nas votações de hoje, a maioria PSD/CDS-PP rejeitou um projeto de resolução do Bloco de Esquerda (BE) sobre a mesma matéria, para instituir o dia 17 de maio como "o dia nacional contra a discriminação das pessoas lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e intersexo".

Por outro lado, foi aprovado, por unanimidade, um projeto de resolução do BE que recomenda ao Governo que seja retomada a ligação marítima por 'ferryboat' entre a Madeira e o continente, segundo os princípios do transporte público.

Foi também aprovado, por unanimidade, um projeto de resolução da maioria PSD/CDS-PP pedindo a melhoria do acesso das pessoas com fibromialgia aos cuidados do Serviço Nacional de Saúde e o aprofundamento do conhecimento médico sobre esta doença, entre outras recomendações ao Governo sobre esta matéria.

As bancadas da maioria PSD/CDS-PP e da oposição aprovaram por consenso também algumas disposições de um projeto de resolução do Partido Ecologista "Os Verdes" sobre animais, como a recomendação de que seja feito um estudo sobre a formação de uma rede de canis municipais com regras comuns.

Noutro dos pontos aprovados, é recomendado ao Governo que estabeleça "o princípio do não abate de animais, com exceções muito restritas, designadamente permitindo a prática de eutanásia em caso de irremediável sofrimento do animal ou por razões de saúde pública".



Lusa
  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28