sicnot

Perfil

País

Câmara de Lisboa avança com queixa contra barbearia que restringe entrada a mulheres

A Câmara de Lisboa apresentou queixa à Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género contra uma barbearia lisboeta que proíbe a entrada a mulheres, apesar de o responsável do estabelecimento negar fazer essa restrição.

© Kai Pfaffenbach / Reuters

O vereador dos Direitos Sociais, João Afonso, disse à Lusa que a apresentação da queixa surgiu na sequência do "descontentamento de muitas pessoas" em relação ao anúncio de impedimento à entrada das mulheres na barbearia lisboeta e foi manifestado durante a 16ª Marcha do Orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgénero).

"No exercício diário da sua atividade o referido estabelecimento, conhecido como Figaro's Barbershop, proíbe exclusivamente a entrada de pessoas do sexo feminino", lê-se na queixa apresentada na terça-feira pela Câmara de Lisboa à Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género, a que a Lusa teve hoje acesso.

"Existe à porta, segundo tivemos conhecimento, um sinal que anuncia que é permitida a entrada a homens e a cães, mas não a mulheres, equiparando estas últimas a animais", acrescenta. 

O responsável pela Figaro's Barbershop, Fábio Marquês, garantiu à Lusa que "a barbearia não proíbe a entrada a mulheres", explicando que "o que acontece é que não existem serviços para senhoras".

Localizada na rua do Alecrim, em Lisboa, esta barbearia está aberta há um ano e dois meses e tem sido motivo de polémica pelo "letreiro humorístico escrito em inglês, que diz que as mulheres não devem entrar, não que as mulheres são proibidas de entrar", reforçou o responsável pela Figaro's Barbershop, acrescentado o espaço é para homens porque só se presta um serviço para o público masculino.

 "Não quer dizer que as senhoras não possam entrar para comprar um produto ou perguntar uma informação", sublinhou.

"Não entendemos que estejamos a fazer uma discriminação", afirmou Fábio Marquês, barbeiro há 15 anos, referindo que o conceito do estabelecimento é "recriar um ambiente onde os homens se sentem confortáveis em estar, a cortar o cabelo", pelo que as mulheres podem entrar, mas "não podem ficar a fazer sala quando vêm acompanhar os maridos".

O vereador João Afonso considerou, no entanto, tratar-se de "uma atitude discriminatória" que vai contra os princípios de igualdade, mas admitiu que a Câmara de Lisboa apenas tem competência para averiguar se o estabelecimento está devidamente licenciado para exercer a atividade ao público, pelo que terá que ser a Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género a "promover as diligências que considere pertinentes e atuar em conformidade".

Na queixa apresentada pela autarquia lê-se ainda que "tal prática consubstancia uma atitude discriminatória em função do sexo, configurando eventualmente uma violação do disposto na lei nº. 14/2008, de 12 de março, a qual proíbe e sanciona a discriminação em função do sexo no acesso a bens e serviços e seu fornecimento".

Lusa
  • Ministra emocionou-se no Parlamento
    2:26

    Tragédia em Pedrógão Grande

    A ministra da Administração Interna disse esta quarta-feira no Parlamento que está, desde a primeira hora, a recolher, analisar e cruzar todos os dados do incêndio de Pedrógão Grande. Constança Urbano de Sousa emocionou-se diante dos deputados e admitiu que tem ainda muitas dúvidas sobre o que aconteceu. Foi pedido um estudo independente ao funcionamento do sistema de comunicações de emergência e uma auditoria à Secretaria-Geral da Administração Interna, a entidade gestora do SIRESP. A ministra explicou porquê.

  • "O que mais tem havido nesta altura são respostas precipitadas"
    7:21

    Opinião

    Foi um "debate contido" o de hoje, no Parlamento, sobretudo no frente-a-frente entre António Costa e Passos Coelho, na opinião de Bernardo Ferrão. O subdiretor de informação da SIC sublinha uma declaração "mortal" do primeiro-ministro, quando este disse que "ninguém quer respostas precipitadas". Por outro lado, a comissão técnica independente pedida pelo PSD pode virar-se contra o próprio partido.

    Bernardo Ferrão

  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44

    Mundo

    A Ucrânia está a ser seriamente afetada por um novo ataque informático. Algumas empresas de grande dimensão estão a ser prejudicadas, agravando a dimensão global do ataque, o qual não parece ser dirigido a ninguém em concreto. Ontem, nas primeiras horas do ataque, não parava de crescer o número de vítimas.

  • Caricaturas de Trump invadem capital do Irão

    Mundo

    O Irão está a organizar um concurso internacional de caricaturas do Presidente norte-americano Donald Trump. Pelas ruas de Teerão já vão surgindo algumas imagens alusivas ao festival que vai realizar-se no próximo mês de julho.

  • De onde vem o dinheiro de Isabel II?

    Mundo

    A rainha Isabel II vai ser aumentada - pelo exercício das suas funções -, em 2018, para 82,2 milhões de libras (93,5 milhões de euros). Este valor é pago pelo Estado britânico. Contudo, esta não é a única fonte de rendimento da rainha de Inglaterra. Isabel II também recebe pelas terras, casas e empresas que tem espalhadas pelo Reino Unido.

  • Companhia aérea obriga deficiente físico a entrar no avião sem ajuda

    Mundo

    Um homem com uma deficiência física que o obriga a andar numa cadeira de rodas foi obrigado a subir sozinho as escadas de um avião da companhia aérea Vanilla Air. Hideto Kijima deparou-se com a situação quando estava a embarcar da ilha de Amami para Osaka, no Japão, com vários amigos que foram proibidos de o ajudar.