sicnot

Perfil

País

Visitas a mais de 50 monumentos portugueses disponíveis para todos na Google

Mais de 50 locais, entre monumentos, castelos ou paisagens, já podem ser "visitados" virtualmente, por qualquer cibernauta, em todo o mundo, através de um instrumento da Google, uma forma de valorizar a cultura e o turismo de Portugal.  

© Nacho Doce / Reuters

O projeto "Maravilhas de Portugal", hoje apresentado em Lisboa, é uma iniciativa da Direção-Geral do Património Cultural e da multinacional Google, e junta tecnologia, cultura, promoção turística e cultural, numa projeção que o secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, espera que "possa valorizar, por um lado, a cultura por si só e, por outro, as visitas a Portugal".

"A importância [deste projeto] é muito grande, sendo a Google o maior motor de busca do mundo", disse Jorge Barreto Xavier, realçando "a possibilidade [de ter], com o pormenor e o detalhe, uma visita a 360 graus, ao conjunto dos 57 monumentos que, a partir de hoje, estão disponíveis 'online' para todo o mundo".

O governante falava aos jornalistas, na Torre de Belém, um dos monumentos da lista a visitar, no final da apresentação dos novos locais disponibilizados no projeto de digitalização do património português, que, desde 2012, permite visualizar pontos de interesse cultural, natural e arquitetónico.

Mosteiro dos Jeróminos, Palácios de Queluz ou da Pena, Baixa Pombalina, Praça do Império, Sé da Braga, Muralhas da Vila de Óbidos, Castelo de Guimarães, Mosteiro da Batalha, Alto Douro Vinhateiro ou a Serra da Estrela são alguns dos locais que podem ser vistos, em imagens visita virtual, a partir da página de internet da Google ou da Google Maps.

O projeto, no entanto, prossegue e o secretário de Estado anunciou que "vai haver uma outra fase, agora a ser trabalhada, da valorização das peças" dos museus nacionais.

"Já estamos a trabalhar com várias instituições culturais do país, como a Galeria de Arte Urbana de Lisboa Festival de Arte Urbana da Covilhã ou Museu Berardo", avançou a responsável pela gestão dos programas do Instituto Cultural da Google, Luisella Mazza. 

Jorge Barreto Xavier salientou que o Estado não interferiu "diretamente" na referenciação e escolha dos monumentos.

"O investimento do Estado português é essencialmente de acompanhamento técnico de valorização da presença e de referenciação daquilo que achamos serem os monumentos mais importantes", realçou. 

No discurso, perante uma assistência que incluía representantes da área cultural e do turismo, assim como alguns presidentes de câmaras municipais, Barreto Xavier defendeu que, "por mais valiosas que sejam as possibilidades de acesso à informação e ao conhecimento através de redes digitais, nada substitui a plenitude de fruição de um bem cultural ou natural numa visita ao próprio local".

No entanto, considerou que, tanto as componentes estritamente culturais, como a ligação com matérias educativas, turismo, ambiente e economia, "têm a ganhar" com o novo projeto da Google.

Jorge Barreto Xavier espera, como realçou, com a Google e com outros parceiros, "poder contribuir para melhorar os mecanismos de acesso legal a conteúdos, combatendo o 'download' ilegal e a pirataria informática, nocivos para os detentores de direitos de propriedade intelectual e para a economia".



  • Explosão no aeroporto de Damasco

    Mundo

    Uma explosão de grandes dimensões atingiu, esta manhã, o aeroporto de Damasco, na capital Síria. O ataque terá sido realizado pelas forças israelitas.

    Em atualização

  • Habitantes de Almeida barricaram-se durante seis horas em agência da CGD
    2:31

    País

    Perto de 100 pessoas estiveram esta quarta-feira barricadas na agência da Caixa Geral de Depósitos em Almeida, distrito da Guarda. O protesto contra o encerramento da agência só terminou quase seis horas depois, com a garantia que os autarcas serão recebidos na próxima terça-feira pela Administração do banco público. 

  • Carro que atropelou adepto encontrado na casa de um amigo do suspeito
    2:18

    Desporto

    O carro que terá atropelado o adepto italiano que morreu junto ao Estádio da Luz foi encontrado esta terça-feira, numa garagem na Amadora, na casa de um amigo do suspeito. Trata-se de um homem na casa dos 30 anos que pertence à claque No Name boys e é agora procurado pela Polícia Judiciária.

  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Web Summit inaugura primeiro escritório fora da Irlanda em Lisboa
    1:58

    Web Summit

    A Web Summit inaugurou em Lisboa o primeiro escritório fora da Irlanda, que vai dar emprego a 20 pessoas, algumas portuguesas. O próximo objectivo é alargar eventos a outros pontos do país. A conferência internacional regressa a Lisboa entre 6 e 9 de novembro e a organização espera ter 60 mil participantes.

  • Ivanka Trump vaiada por defender o pai durante debate sobre igualdade de género
    1:51

    Mundo

    Com o propósito de criar pontes com Donald Trump, a chanceler alemã Angela Merkel convidou a filha mais velha do Presidente norte-americano para participar numa cimeira. No entanto as coisas não correram muito bem e Ivanka Trump foi vaiada pela audiência por ter defendido o pai quando o assunto era a igualdade de género. 

  • Papa apelou à revolução da ternura
    0:52
  • Irmã da mulher mais pesada do mundo acusa hospital de mentir

    Mundo

    A irmã da mulher egípcia que se acreditava ser a mais pesada do mundo acusou os médicos de mentirem acerca da sua perda de peso. No entanto, o hospital que realizou a cirurgia bariátrica já respondeu às acusações, defendendo que a mulher pesa agora 172 quilos.

  • Diário de John F. Kennedy vendido por 660 mil euros

    Mundo

    Um diário escrito por John F. Kennedy quando jovem, durante uma curta passagem pelo jornalismo, depois da II Guerra Mundial, foi vendido por mais de 700 mil dólares (642 mil euros), informou esta quarta-feira uma casa de leilões.