sicnot

Perfil

País

Cirurgia para mudar cor dos olhos já causou lesões graves

Cirurgia para mudar cor dos olhos já causou lesões graves

Muitas pessoas estão a recorrer a uma cirurgia para mudar a cor dos olhos. A Sociedade Portuguesa de Oftalmologia diz que a operação já provocou lesões graves em três pessoas que tiveram mesmo de fazer um transplante de córnea.

  • Duplicaram casos de miopia nos jovens universitários

    País

    Em dez anos duplicaram os casos de miopia nos jovens universitários em Portugal. Os investigadores justificam este aumento com dois factores: O primeiro, está relacionado com o tempo que os jovens passam de olhos postos em livros ou em pequenos ecrãs, como os dos telemóveis, tablets e computadores. O segundo, com o facto de passarem cada vez menos tempo ao ar livre. Estudos recentes dizem que três horas de sol por dia é o tempo mínimo de exposição solar para um efeito protetor na saúde dos olhos e da visão. Atualmente, a miopia é considerada uma epidemia global. Os dados recolhidos na Europa e nos Estados Unidos revelam que hoje cerca de metade dos jovens são míopes e na China cerca de 90 por cento dos jovens têm a mesma patologia.

  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15

    Mundo

    Emmerson Mnangagwa é o sucessor de Robert Mugabe que regressou esta quarta-feira da África do Sul, onde estava refugiado. No primeiro discurso, o Presidente do Zimbabué falou de uma nova democracia no país. Mnangagwa, conhecido como crocodilo, é suspeito de atrocidades na guerra civil pós-independência. 

  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50