sicnot

Perfil

País

Crianças hospitalizadas após sintomas de alergia na Praia de Carcavelos já tiveram alta

As duas crianças que foram hoje transportadas para o Hospital São Francisco Xavier, após apresentarem comichão no corpo e vermelhidão na pele, na Praia de Carcavelos, em Cascais, já receberam alta clínica, informou fonte hospitalar.  

(Lusa/ Arquivo)

(Lusa/ Arquivo)

LUSA

Sessenta e quatro crianças foram assistidas ao final da manhã, na praia de Carcavelos, por apresentarem lesões na pele, segundo o balanço feito pelo Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) à agência Lusa, cerca das 13:45.

De acordo com o INEM, estas crianças tinham "lesões cutâneas urticariformes".

Uma menina de 8 anos e um menino de 6 anos foram transportados para o Hospital São Francisco Xavier com "pruridos na pele", enquanto as restantes foram levadas, em autocarros, para a Junta de Freguesia de Belém, a fim de serem entregues aos pais.

Cerca das 16:30, fonte do gabinete de comunicação do Hospital São Francisco Xavier informou que as duas crianças já tinham recebido alta.

Sobre a origem da alegada alergia, fonte da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo remeteu informações para mais tarde.

O comandante da Polícia Marítima de Cascais, Mário Domingues, disse também à Lusa que ainda não há novidades sobre as análises que deverão ser feitas na praia.

"Sabemos que são os técnicos da Câmara de Cascais que vão fazer a recolha, mas ainda não temos indicação de que já foram à praia, nem sabemos dos resultados", informou.

Este responsável indicou, no entanto, que não foram registadas mais queixas dos banhistas e que "está tudo normal" na praia.

Segundo a Polícia Marítima, as crianças pertencem a uma escola de Belém e estavam na praia quando os sintomas foram notados, mas o problema não deverá estar ligado à praia.

Lusa

  • TAP recruta mais assistentes de bordo
    2:40

    Economia

    A TAP assegura que, até ao final de outubro, os problemas com falta de tripulação vão terminar. Até ao final do ano vão ser contratados novos assistentes de bordo, mas o sindicato diz que não chega.