sicnot

Perfil

País

Durão diz que Portugal não está como a Grécia graças ao Governo de Passos

O ex-presidente da Comissão Europeia Durão Barroso aconselhou hoje os portugueses a olharem para a Grécia, sustentando que Portugal não está na mesma situação graças à determinação do Governo PSD/CDS-PP chefiado por Pedro Passos Coelho.

MANUEL DE ALMEIDA

"Aos portugueses, eu gostava de dizer que olhem para a Grécia, que pensem no que se está a passar na Grécia, porque era exatamente isso que poderia estar a passar-se em Portugal, se não fosse, se não tivesse sido a determinação do Governo português e do seu primeiro-ministro, que quero saudar", declarou o anterior presidente da Comissão Europeia.

Na apresentação do livro "O outro lado da governação", dos ex-governantes Miguel Relvas e Paulo Júlio, num hotel de Lisboa, Durão Barroso defendeu que a Grécia entrou numa "situação terrível" devido a "decisões políticas", quando "iniciava a recuperação económica", e considerou "completamente injusto" que se critique as instituições credoras.

O antigo primeiro-ministro e antigo presidente do PSD falou da Grécia a meio da sua intervenção sobre este livro, editado pela Porto Editora.

"Seria talvez estranho que eu não referisse o que se passa na nossa Europa com a Grécia. A Grécia está numa situação dramática", disse, lamentando que isso tenha acontecido "depois de tantos sacrifícios feitos pelo povo grego, e quando se iniciava a recuperação económica".

Segundo Durão Barroso, "quando se iniciava a saída da crise, por decisões políticas, a Grécia está precipitada numa situação terrível, onde as pessoas não têm acesso ao dinheiro que pouparam, onde os pensionistas estão à espera de saber se podem ir receber as suas pensões, e onde o Estado está à beira da rutura financeira". 

O ex-presidente da Comissão Europeia recebeu um aplauso prolongado quando recomendou aos portugueses que olhassem para a Grécia e elogiou a atual governação PSD/CDS-PP.

"A verdade é que a situação portuguesa, à partida, era igual ou pior do que a Grécia, se considerarmos a dívida pública e a dívida privada", alegou. 

"E a razão pela qual Portugal não está hoje na situação dramática em que se encontra aquele país é que houve um Governo com determinação e que quis ele próprio apropriar-se das reformas necessárias. Esta é a razão essencial", reiterou.

Durão Barroso advogou que "não se pode impor uma reforma a partir do exterior" e que isso é que explica a diferente situação da Grécia em comparação com Portugal, Irlanda e Espanha.

"É preciso que o próprio país entenda onde chegou e o que há a fazer, e que as reformas não sejam impostas de fora, mas que sejam prosseguidas com determinação pelas autoridades nacionais", reforçou.

Neste ponto, Durão Barroso contestou a ideia de os países sob resgate tenham perdido a sua soberania e saiu em defesa da 'troika' composta por Banco Central Europeu, Comissão Europeia e Fundo Monetário Internacional.

"Não foi a 'troika' que trouxe a crise, foi a crise que trouxe a 'troika'", afirmou. "E por isso é completamente injusto criticar aqueles que ajudaram, é completamente injusto criticar as instituições que, sem dúvida, com imperfeições, deram o seu melhor, nomeadamente o Banco Central Europeu e a Comissão Europeia", acrescentou.

Durão Barroso concluiu esta parte do seu discurso afirmando que a Grécia está "outra vez à beira do precipício", mas que ainda tem "alguma esperança de que se evite o pior".

Quanto a Portugal, considerou que há agora "condições de maior prosperidade e de maior justiça social" e apelou ao "prosseguimento das reformas estruturais"

Lusa

  • Manuel Valls diz que Trump fez declaração de guerra à Europa

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro francês Manuel Valls, aspirante a candidato socialista às presidenciais deste ano, considerou esta segunda-feira como uma "declaração de guerra" as afirmações do futuro Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a União Europeia.

  • Morreu o último homem que pisou a Lua

    Mundo

    O astronauta norte-americano Eugene Cernan, o último homem a pisar a Lua, morreu esta segunda-feira aos 82 anos, informou a agência espacial norte-americana, NASA.

  • Novo motim em prisão brasileira do Rio Grande do Norte

    Mundo

    Um motim ocorreu esta segunda-feira de madrugada numa prisão do estado brasileiro de Rio Grande do Norte, sem fazer feridos ou mortos, depois de uma rebelião numa outra prisão do mesmo estado ter feito 26 mortos no fim de semana.

  • Cheias e derrocadas destroem várias casas no Peru
    0:42

    Mundo

    Um deslizamento de terras seguido de uma inundação destruiu várias casas no Peru. As imagens mostram o momento em que o deslizamento acontece e o caos que se gerou. O trânsito ficou cortado e as inundações que se seguiram obrigaram várias pessoas a abandonar as suas habitações.