sicnot

Perfil

País

Trabalhadores do INEM em vigília no Ministério da Saúde

Algumas dezenas de trabalhadores do INEM concentraram-se hoje de manhã junto ao Ministério da Saúde, apesar de o governo ter decidido retomar as negociações sindicais, que era a principal motivação do protesto.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

A vigília tinha sido anunciada na quarta-feira para apelar ao retomar das negociações da carreira de técnico de emergência, interrompidas pelo governo na sequência da greve ao trabalho extraordinário.

Segundo Paulo Andrade, trabalhador responsável pela organização desta iniciativa, o Ministério da Saúde decidiu entretanto agendar nova reunião negocial para dia 14 deste mês.

Fonte oficial do Ministério confirmou à agência Lusa o agendamento desta reunião.

O Ministério da Saúde tinha decidido, no dia 22 de junho, adiar 'sine dia' a reunião de negociação sindical com os técnicos de ambulância de emergência, em reposta à decisão de manter a greve às horas extraordinárias, em vigor desde o dia 24 de junho.

Apesar da marcação da reunião, os trabalhadores decidiram manter a concentração de hoje para mostrar que "estão atentos a todo o desenrolar do processo" e que exigem "passos concretos e sucesso nas negociações".

"Presumo que haja depois condições para desconvocar a greve [ao trabalho extraordinário] ", referiu à agência Lusa Paulo Andrade, remetendo uma decisão para depois da reunião de dia 14.

Na base da greve ao trabalho extraordinário estão as exigências de garantias de homologação da carreira de técnico de emergência ainda da reposição das 35 horas de trabalho semanais.

 

Lusa

  • Um pedido de desculpas aos portugueses e um ultimato ao Governo
    3:21
  • Vouzela tenta regressar à normalidade, 8 pessoas morreram no concelho
    2:28

    País

    No concelho de Vouzela, a população começa a voltar à normalidade. Aos poucos a luz e a água estão a voltar e as pessoas começam a ganhar forças para reconstruir aquilo que lhes foi tirado pelos fogos. No entanto, as feridas demoram a sarar e não será fácil esquecer que 80 a 90 por cento deste concelho foi destruído pelos incêndios e oito pessoas morreram.

  • Material de guerra de Tancos encontrado, faltam munições
    1:40
  • "Se os bombeiros não chegam, os vizinhos vão ficar sem casa"
    1:03
  • Madrid admite suspender autonomia da Catalunha
    1:51
  • Alemanha já tem uma versão de Donald Trump... em cera
    1:08