sicnot

Perfil

País

Trabalhadores do INEM em vigília no Ministério da Saúde

Algumas dezenas de trabalhadores do INEM concentraram-se hoje de manhã junto ao Ministério da Saúde, apesar de o governo ter decidido retomar as negociações sindicais, que era a principal motivação do protesto.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

A vigília tinha sido anunciada na quarta-feira para apelar ao retomar das negociações da carreira de técnico de emergência, interrompidas pelo governo na sequência da greve ao trabalho extraordinário.

Segundo Paulo Andrade, trabalhador responsável pela organização desta iniciativa, o Ministério da Saúde decidiu entretanto agendar nova reunião negocial para dia 14 deste mês.

Fonte oficial do Ministério confirmou à agência Lusa o agendamento desta reunião.

O Ministério da Saúde tinha decidido, no dia 22 de junho, adiar 'sine dia' a reunião de negociação sindical com os técnicos de ambulância de emergência, em reposta à decisão de manter a greve às horas extraordinárias, em vigor desde o dia 24 de junho.

Apesar da marcação da reunião, os trabalhadores decidiram manter a concentração de hoje para mostrar que "estão atentos a todo o desenrolar do processo" e que exigem "passos concretos e sucesso nas negociações".

"Presumo que haja depois condições para desconvocar a greve [ao trabalho extraordinário] ", referiu à agência Lusa Paulo Andrade, remetendo uma decisão para depois da reunião de dia 14.

Na base da greve ao trabalho extraordinário estão as exigências de garantias de homologação da carreira de técnico de emergência ainda da reposição das 35 horas de trabalho semanais.

 

Lusa

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.

  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.