sicnot

Perfil

País

Ex-professor e treinador de futebol condenado a 25 anos de prisão por abuso sexual de menores

O Tribunal de Penafiel condenou esta sexta-feira a 25 anos de prisão um antigo professor de educação física e treinador de futebol, de Marco de Canaveses, pela prática de 327 crimes de abuso sexual de nove crianças, entre os 8 e os 12 anos de idade.

(Arquivo)

(Arquivo)

SIC

Segundo o acórdão, o conjunto dos crimes provados em audiência, alguns dos quais na forma agravada, poderiam traduzir-se numa condenação superior a 900 anos de cadeia, se não houvesse o limite legal dos 25.

Os contactos sexuais com os menores, incluindo com um afilhado e sobrinho do arguido, terão sido praticados entre 2009 e 2014, em várias localidades do país onde o professor deu aulas ou prestou serviços como treinador de futebol.

A sentença foi determinada por um tribunal de júri que incluía quatro cidadãos de Penafiel escolhidos aleatoriamente, a requerimento da defesa.

O tribunal censurou o "dolo intensíssimo" dos atos praticados pelo arguido, de 36 anos, com "consequências gravosas" para várias vítimas. 

Os abusos terão começado com crianças num clube de futebol de Alpendurada, Marco de Canaveses, prosseguindo com menores de uma escola e de um clube de futebol da região de Lisboa.

No acórdão, concluiu-se que o professor se aproveitava do seu estatuto de docente e treinador de futebol e da ingenuidade dos rapazes para iniciar os contactos de cariz sexual.

A alguns dos menores, o ex-professor oferecia presentes para os seduzir e proporcionava-lhes períodos de férias na Madeira, em Lisboa e no Marco de Canaveses, durante os quais abusaria dos rapazes, com quem dormia, de forma continuada.

Sexo oral e anal, masturbação e contactos nos genitais de alguns dos menores eram comportamentos frequentes do arguido ao longo dos anos, censurou o tribunal.

O coletivo criticou ainda o facto de o antigo treinador de futebol das camadas jovens nunca ter admitido os seus crimes ao longo do julgamento, apesar da "contundência dos factos".

"O senhor sabia o que estava a fazer", advertiu o tribunal.

O arguido foi também condenado a pagar indemnizações de dezenas de milhares de euros aos ofendidos, a maior das quais ao seu sobrinho.

Ficou também impedido de exercer as funções profissionais por um período de 15 anos.

Ao anúncio da sentença assistiram alguns familiares das vítimas e no final da audiência alguns choraram.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.