sicnot

Perfil

País

Nuno Crato admite que pré-escolar aos quatro anos é esforço financeiro "ao nosso alcance"

O ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, admitiu hoje que a universalização do ensino pré-escolar, a partir dos quatro anos, vai implicar um "esforço financeiro", já quantificado e "perfeitamente ao nosso alcance", garantiu.

MIGUEL A. LOPES / Lusa

"Nós sabemos que o pré-escolar nos quatro anos está praticamente estabelecido, estamos a falar já de percentagens elevadas no nosso país. Agora completá-lo vai ser um esforço financeiro - está quantificado - e um esforço de organização de recursos, mas que está perfeitamente ao nosso alcance", disse hoje Nuno Crato, à saída da comissão parlamentar de Educação, Ciência e Cultura, onde foi ouvido por requerimento do Partido Comunista Português (PCP).

O ministro não soube precisar, no entanto, quanto vai custar a medida da iniciativa da coligação da maioria parlamentar no âmbito da promoção da natalidade, nem quantas vagas terão de ser abertas para dar resposta a um pré-escolar universal, a partir dos quatro anos de idade.

A educação pré-escolar vai passar a ser garantida desde os quatro anos de idade, a partir do ano letivo 2016/2017, segundo um diploma hoje publicado em Diário da República.

O Governo deverá ainda regulamentar por decreto-lei, até início de fevereiro do próximo ano, as normas que regulam a universalidade da educação pré-escolar, relativamente às crianças que atinjam os quatro anos de idade, "de modo a assegurar a sua implementação a partir do ano letivo 2016/2017".

O secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário, Fernando Egídio Reis, disse também que o sistema já tem capacidade atualmente para "acolher praticamente todas" as crianças com quatro anos de idade, e frisou que há ainda um ano para "preparar o sistema para garantir que todas terão essa possibilidade [de frequentar o ensino pré-escolar]".

Nuno Crato declarou que o alargamento a mais um ano da educação pré-escolar vai preparar as crianças para a entrada na escolaridade obrigatória "de forma mais homogénea, e de forma que todos consigam entrar com uma preparação muito semelhante".

"Isto vai possibilitar que as turmas avancem mais depressa e alcancem os objetivos de aprendizagem estabelecidos, de uma forma mais rápida", referiu.

O ministro admitiu ainda que o desafio maior será a universalização do pré-escolar a partir dos três anos, objetivo estabelecido até ao final da próxima legislatura: "Aí sim, vai ser um avanço maior, mas teremos quatro anos para o preparar".

Atualmente, está consagrada a universalidade da educação pré-escolar para crianças a partir dos cinco anos.

 

 

 

Lusa

 

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.