sicnot

Perfil

País

Portugal leva seis alunos às Olimpíadas de Matemática na Tailândia

Portugal vai levar seis alunos do ensino secundário às Olimpíadas Internacionais de Matemática, que decorrem este ano na Tailândia, com o objetivo de melhorar a prestação do ano anterior, na qual o país conquistou cinco medalhas.

(Arquivo Reuters)

"As expectativas são de cada um dar o seu melhor, trazer algumas medalhas e superar a prestação do ano passado", disse à Lusa Joana Teles, a professora e representante da Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM) que vai acompanhar os alunos portugueses até à Tailândia.

Em 2014, na Cidade do Cabo, África do Sul, os representantes de Portugal conquistaram duas medalhas de prata, três de bronze e uma menção honrosa, que valeram o 33.º lugar na competição que envolveu 103 países.

À Tailândia, além dos quatro alunos que conquistaram as medalhas de bronze e a menção honrosa em 2014, Portugal leva ainda dois estreantes em competições internacionais.

O estágio de preparação do Delfos (o projeto do departamento de matemática da Universidade de Coimbra que se dedica a preparar alunos para participar nas competições internacionais) deveria ter terminado no passado fim de semana, mas os seis alunos organizaram-se e, "entre eles, conseguiram prolongar o estágio até sexta-feira [passada], o que demonstra o empenho da equipa", referiu Joana Teles.

A professora sublinhou a intensidade do trabalho de preparação: "Eles nunca estão satisfeitos, estão sempre a tentar resolver problemas".

Na Tailândia, onde a competição é a título individual, cada um dos seis alunos portugueses será sujeito a duas manhãs de provas, de quatro horas e meia, cada uma.

Francisco Andrade, da Escola Secundária Padrão da Légua, em Matosinhos, Henrique Aguiar, da Escola Secundária José Estêvão, em Aveiro, e Nuno Santos, do Colégio Nossa Senhora do Rosário, no Porto, todos alunos do 12.º ano, voltam este ano a competir nas olimpíadas internacionais de matemática, depois de, em 2014, terem conquistado três medalhas de bronze.

Henrique Santos, da Escola Secundária José Falcão, de Coimbra, também do 12.º ano, também repete a participação internacional, depois de, em 2014, ter conseguido uma menção honrosa na competição.

Bruno Carvalho, do 11.º ano, da Escola Secundária Padrão da Légua, em Matosinhos, e Henrique Navas, do 10.º ano, da Escola Secundária Filipa de Lencastre, em Lisboa, são os estreantes em eventos internacionais, na comitiva portuguesa.

A comitiva portuguesa parte para a Tailândia na próxima terça-feira para a cidade de Chiang Mai, a tempo de marcar presença na cerimónia de abertura da competição a 09 de julho.

Os seis alunos portugueses integram um conjunto de 582 participantes vindos de 114 países para competir na 56.ª edição das Olimpíadas Internacionais de Matemática (OIM), que decorrem até 16 de julho.

Os resultados dos participantes portugueses são conhecidos no dia 15.

"Portugal participou pela primeira vez nas OIM em 1989 e, desde então, já conquistou três medalhas de ouro (em 2011, 2012 e 2013), quatro de prata, 23 de bronze e 22 menções honrosas", recorda um comunicado da SPM, que organiza a participação portuguesa na competição. 

Às OIM seguem-se as Olimpíadas de Matemática da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (OMCPLP), que decorrerão em Cabo Verde, entre 20 e 26 de julho. 

"O ciclo das competições internacionais em 2015 fica completo com as Olimpíadas Ibero-Americanas de Matemática (OIAM), que terão lugar em Porto Rico, de 6 a 14 de novembro", conclui a nota.da SPM.

 

 

 

Lusa

 

  • Chamas no concelho de Torre de Moncorvo ameaçaram aldeia
    1:30

    País

    Dois incêndios no concelho de Torre de Moncorvo deram luta aos bombeiros na tarde de ontem e também durante toda a noite. As chamas estiveram muito próximas da aldeia de Cabanas de Cima, mas os bombeiros conseguiram desviar o fogo.

  • Se

    Se Jaime Marta Soares tiver razão, se a ciência e as autoridades não forem - outra vez? - manipuladas pelo poder político, se a investigação - independente - concluir que o fogo começou muito antes da trovoada, então, estamos diante de um dos maiores embustes do Portugal democrático.

    Pedro Cruz

  • Governo cria fundo de apoio para as pessoas afetadas pelos incêndios
    1:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O ministro do Planeamento e Infraestruturas reuniu-se esta quarta-feira com os autarcas de Figueró dos Vinhos, Castanheira de Pera e Pedrógão  Grande. O Governo criou um fundo financeiro, com o contributo dos portugueses, para apoiar a reconstrução das habitações e a vida das pessoas afetadas pelos incêndios que lavram desde sábado. O fundo será aprovado quinta-feira em Conselho de Ministros.

  • A reconstrução da Nacional 236
    1:44
  • Harry admite que ninguém na família real britânica quer ser rei ou rainha

    Mundo

    O príncipe Harry admitiu que nenhum dos mais jovens membros da família real britânica quer ser rei ou rainha. Numa entrevista exclusiva à revista norte-americana Newsweek, na qual aborda temas como a morte da mãe, que perdeu com apenas 12 anos, Harry afirma que ele e o irmão estão empenhados em "modernizar a monarquia".

    SIC