sicnot

Perfil

País

Dois feridos ligeiros e estradas cortadas no fogo de Tomar

Duas pessoas, um bombeiro e um civil, sofreram queimaduras ligeiras em Casal do Rei, no concelho de Vila Nova da Barquinha, durante o incêndio que deflagrou cerca das 13:00 no concelho de Tomar, disse à Lusa fonte da proteção civil.

RTV/SIC

Filipe Regueira, comandante da sala de operações do Comando Distrital de Operações de Socorro de Santarém, disse à Lusa que há ainda um terceiro ferido ligeiro, outro bombeiro, vítima de doença súbita não relacionada com o incêndio.

O fogo, que mantém três frentes ativas, alastrou a outros três concelhos -- além de Tomar, Abrantes, Constância e Vila Nova da Barquinha -, estando a ser combatido por 485 operacionais, ajudados por oito meios aéreos e 135 viaturas, disse a fonte.

A A23 e a A13 foram cortadas ao trânsito cerca das 18:00, a primeira entre o nó da Atalaia e o nó de Constância Sul e a segunda no primeiro nó à saída da A23 no sentido Torres Novas/Tomar, adiantou.

Filipe Regueira disse à Lusa que as corporações do distrito de Santarém estão a ser auxiliadas por reforços dos distritos de Lisboa, Setúbal, Évora, Portalegre, Castelo Branco, Leiria, Aveiro e Coimbra.

Segundo a informação disponível na página da Autoridade Nacional de Proteção Civil, o incêndio continua a arder com intensidade, com três frentes ativas em eucalipto, mato e zona agrícola e com vários pontos sensíveis nomeadamente perto de habitações, estando a ter muitas projeções.

O comandante de sala confirmou que arderam dois barracões agrícolas junto à povoação de Cafuz, considerada "a mais sensível".

A presidente da Câmara Municipal de Tomar, Anabela Freitas, que se deslocou ao posto de comando instalado no local, disse à Lusa que a prioridade está a ser colocada junto às zonas habitadas, estando a ser recomendado às populações que reguem os terrenos próximos das habitações.

Lusa

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14