sicnot

Perfil

País

O estado da Nação no último debate político da legislatura

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, abre hoje como habitualmente o debate do Estado da Nação na Assembleia da República, o último da legislatura e que este ano acontece a cerca de três meses das eleições legislativas.

© Rafael Marchante / Reuters

Qual é para si o estado da Nação? O Opinião Pública às 11:00 dá voz aos espetadores da SIC Notícias. Participe também na discussão através das redes sociais, com a hashtag #EstadodaNação

O início do plenário está marcado para as 15:00 e a grelha de tempos dita um debate que se estenderá por perto de quatro horas (217 minutos).

Tradicionalmente, este é o último debate político da sessão legislativa antes das férias parlamentares - e, este ano, da legislatura - estando, por enquanto, apenas acertada a realização de mais um plenário para votações a 22 ou 23 de julho.

Segundo o regimento, é "um debate de política geral, iniciado com uma intervenção do primeiro-ministro sobre o Estado da Nação, sujeito a perguntas dos grupos parlamentares, seguindo-se o debate generalizado que é encerrado pelo Governo". 

Depois da intervenção inicial de Pedro Passos Coelho, que poderá durar até 40 minutos, os partidos terão direito a pedidos de esclarecimento e intervenções, pela seguinte ordem: PS, PSD, CDS-PP, PCP, BE e PEV. 

O último debate do "Estado da Nação" aconteceu a 2 de julho de 2014 e, na abertura, o primeiro-ministro propôs um compromisso nacional para o emprego e questionou o PS, então liderado por António José Seguro, sobre a sua posição perante o tratado orçamental europeu.

António José Seguro, que viria a ser substituído na liderança socialista por António Costa poucos meses depois, acusou Passos de destruir três gerações em três anos de chefia governamental, advogando a ideia de que tudo começou a 21 de junho de 2011, com a tomada de posse do executivo PSD/CDS e com a opção "deliberada" por um "caminho de empobrecimento".

A restante oposição foi também crítica para com o Governo, que esteve representado no "Estado da Nação" de 2014 também pelo vice-primeiro-ministro Paulo Portas - que encerrou o debate - e pelo ministro da Economia, António Pires de Lima, entre outros.

Na terça-feira, o presidente do PSD e primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, afirmou que pretende levar ao debate de hoje uma mensagem de confiança na zona euro e na economia portuguesa.

Já o secretário-geral do PS, António Costa, que não é deputado e portanto não intervirá no debate, tem estado no terreno nos últimos dias para preparar o debate do "Estado da Nação" para dar voz aos cidadãos e para denunciar o que chamou de "sete pecados capitais" do Governo, entre os quais destacou "as falsas promessas da campanha das legislativas de 2011, quando o atual primeiro-ministro garantiu que não cortaria salários, pensões e não aumentaria impostos".

Com Lusa

  • Qual é o #EstadodaNação ?

    País

    Esta quarta-feira à tarde, o Parlamento debate o estado da Nação. A maioria declara-se de "consciência tranquila" com o trabalho feito, a oposição reclama "verdade" e não "ficção política". E o que diz você? Qual é para si o estado da Nação? O Opinião Pública às 11:00 dá voz aos espetadores da SIC Notícias. Participe também na discussão através das redes sociais, com a hashtag #EstadodaNação

  • Sismo abala centro de Itália

    Mundo

    A capital da Itália foi esta manhã sacudida por três sismos em apenas uma hora, de entre 5,3 e 5,7 na escala de Richter, não havendo até ao momento registo de vítimas.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Bebé nasce na Ucrânia com ADN de três pais

    Mundo

    Nasceu a 5 de janeiro, na Ucrânia, uma menina filha de um casal infértil graças à ajuda de uma nova técnica de fertilização in vitro, que conta com a colaboração de uma terceira pessoa. De acordo com o britânico The Times, os médicos utilizaram pela primeira vez um método denominado transferência pronuclear. Esta não é, contudo, a primeira vez que nasce um bebé com ADN de três progenitores.

  • CIA desvenda segredos de quase 50 anos de História

    Mundo

    A CIA publicou online quase 12 milhões de documentos confidenciais. Basta uma ligação à Internet para navegar por entre 50 anos de relatórios outrora secretos. Entre os milhões de páginas, estão documentos sobre um eventual assassínio de Fidel Castro, detalhes sobre os crimes de guerra nazis, relatórios sobre avistamentos de OVNI e um estudo sobre telepatia denominado "Projeto Star Gate".