sicnot

Perfil

País

O estado da Nação no último debate político da legislatura

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, abre hoje como habitualmente o debate do Estado da Nação na Assembleia da República, o último da legislatura e que este ano acontece a cerca de três meses das eleições legislativas.

© Rafael Marchante / Reuters

Qual é para si o estado da Nação? O Opinião Pública às 11:00 dá voz aos espetadores da SIC Notícias. Participe também na discussão através das redes sociais, com a hashtag #EstadodaNação

O início do plenário está marcado para as 15:00 e a grelha de tempos dita um debate que se estenderá por perto de quatro horas (217 minutos).

Tradicionalmente, este é o último debate político da sessão legislativa antes das férias parlamentares - e, este ano, da legislatura - estando, por enquanto, apenas acertada a realização de mais um plenário para votações a 22 ou 23 de julho.

Segundo o regimento, é "um debate de política geral, iniciado com uma intervenção do primeiro-ministro sobre o Estado da Nação, sujeito a perguntas dos grupos parlamentares, seguindo-se o debate generalizado que é encerrado pelo Governo". 

Depois da intervenção inicial de Pedro Passos Coelho, que poderá durar até 40 minutos, os partidos terão direito a pedidos de esclarecimento e intervenções, pela seguinte ordem: PS, PSD, CDS-PP, PCP, BE e PEV. 

O último debate do "Estado da Nação" aconteceu a 2 de julho de 2014 e, na abertura, o primeiro-ministro propôs um compromisso nacional para o emprego e questionou o PS, então liderado por António José Seguro, sobre a sua posição perante o tratado orçamental europeu.

António José Seguro, que viria a ser substituído na liderança socialista por António Costa poucos meses depois, acusou Passos de destruir três gerações em três anos de chefia governamental, advogando a ideia de que tudo começou a 21 de junho de 2011, com a tomada de posse do executivo PSD/CDS e com a opção "deliberada" por um "caminho de empobrecimento".

A restante oposição foi também crítica para com o Governo, que esteve representado no "Estado da Nação" de 2014 também pelo vice-primeiro-ministro Paulo Portas - que encerrou o debate - e pelo ministro da Economia, António Pires de Lima, entre outros.

Na terça-feira, o presidente do PSD e primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, afirmou que pretende levar ao debate de hoje uma mensagem de confiança na zona euro e na economia portuguesa.

Já o secretário-geral do PS, António Costa, que não é deputado e portanto não intervirá no debate, tem estado no terreno nos últimos dias para preparar o debate do "Estado da Nação" para dar voz aos cidadãos e para denunciar o que chamou de "sete pecados capitais" do Governo, entre os quais destacou "as falsas promessas da campanha das legislativas de 2011, quando o atual primeiro-ministro garantiu que não cortaria salários, pensões e não aumentaria impostos".

Com Lusa

  • Qual é o #EstadodaNação ?

    País

    Esta quarta-feira à tarde, o Parlamento debate o estado da Nação. A maioria declara-se de "consciência tranquila" com o trabalho feito, a oposição reclama "verdade" e não "ficção política". E o que diz você? Qual é para si o estado da Nação? O Opinião Pública às 11:00 dá voz aos espetadores da SIC Notícias. Participe também na discussão através das redes sociais, com a hashtag #EstadodaNação

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Desporto

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Desporto

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.

  • Mais cinco ilhas dos Açores sob aviso vermelho

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elevou esta quarta-feira para vermelho o aviso para as cinco ilhas do grupo central dos Açores, onde no Faial o vento atingiu os 150 quilómetros por hora.

  • Votações sobre o mapa judiciário geram tensão no Parlamento
    2:01

    País

    O momento das votações no Parlamento ficou marcado por alguma tensão. Depois de aprovadas, em comissão, as alterações ao mapa judiciário, o PSD opôs-se a que o diploma fosse votado em plenário, uma vez que não fazia parte da versão inicial do guião de votações. A esquerda acusou os sociais-democratas de terem motivações estritamente políticas e não regimentais.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • As primeiras palavras de um dos sobreviventes da Chapecoense
    0:29
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.