sicnot

Perfil

País

Cientista português mostra como cérebros de dois animais podem trabalhar em conjunto

O cientista Miguel Santos Pais Vieira é o primeiro autor do estudo publicado esta quinta-feira na revista Scientific Reports, que mostra como os cérebros de dois ou mais animais podem trabalhar em conjunto, como parte de um sistema computacional.

Nestes estudos, grupos de dois a quatro animais foram capazes de combinar parte da atividade dos seus cérebros para controlar os movimentos de um braço virtual ou para realizar operações computacionais, como reconhecimento de padrões, recuperação de memórias tácteis e uma forma simplificada de previsão do tempo. (Arquivo)

Nestes estudos, grupos de dois a quatro animais foram capazes de combinar parte da atividade dos seus cérebros para controlar os movimentos de um braço virtual ou para realizar operações computacionais, como reconhecimento de padrões, recuperação de memórias tácteis e uma forma simplificada de previsão do tempo. (Arquivo)

Rajesh Kumar Singh / AP

Em dois estudos separados assinados com os seus colegas da Universidade de Duke, nos Estados Unidos, Pais Vieira explora o conceito de 'brainet', ou Internet cerebral, numa tradução livre para o português. 

Nestes estudos, grupos de dois a quatro animais foram capazes de combinar parte da atividade dos seus cérebros para controlar os movimentos de um braço virtual ou para realizar operações computacionais, como reconhecimento de padrões, recuperação de memórias tácteis e uma forma simplificada de previsão do tempo.

Esta investigação abre espaço para desenvolver redes de cérebros de animais, verdadeiros computadores orgânicos que utilizam tecnologia analógica e digital.

"A nossa expectativa foi atingida de forma surpreendente, o que sugere que, no futuro, os seres humanos vão ter menos dificuldades para combinar, de forma não invasiva, a atividade elétrica de um ou mais cérebros para uma tarefa motora, por exemplo", explicou o diretor da equipa, o brasileiro Miguel Nicolelis, com quem trabalha Pais Vieira. 

Num dos estudos hoje publicados, dois macacos em ambientes diferentes tinham que movimentar apenas com o pensamento um braço virtual, apresentado na tela do computador.

Cada macaco tinha que realizar um movimento para receber uma recompensa; os movimentos eram diferentes um do outro, mas no seu conjunto faziam o braço virtual mexer.

Num segundo estudo, que mostrou a conexão feita entre cérebros de ratos, foi possível combinar a atividade elétrica de três ou quatro roedores para a realização de tarefas computacionais lógicas.

Uma das possibilidades que estes estudos abre é o trabalho com pessoas que tenham sofrido acidentes.

Em teoria, quem perdeu os seus movimentos poderá ser auxiliada por uma ou mais pessoas a sentir novamente os seus membros, o que facilitaria o seu processo de reabilitação.

Essa teoria deve começar a ser testada com seres humanos, no Brasil e nos Estados Unidos, ainda este ano, estando os primeiros resultados previstos para 2016. 

Estes estudos foram realizados nos últimos quatro anos, enquanto Nicolelis e a sua equipa trabalham no projeto Walk Again (Andar de Novo), que tem como objetivo utilizar as atividades neurais para controlar de maneira direta um equipamento externo ao corpo humano.

O trabalho ficou conhecido pelo desenvolvimento de um exoesqueleto que possibilitou um paraplégico brasileiro dar um pontapé durante a cerimónia de abertura do Campeonato do Mundo de Futebol, em São Paulo, em junho do ano passado. 

Miguel Pais Vieira, de 35 anos, fez o seu doutoramento em neurociência na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, e chegou aos Estados Unidos em 2009 para trabalhar com o professor Miguel Nicolelis, líder desta área de investigação.

Lusa

  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC