sicnot

Perfil

País

Lisboa apresenta plano de repavimentação de ruas

Lisboa apresenta plano de repavimentação de ruas

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, apresentou esta quinta-feira o Plano de Pavimentação de Vias. O plano pretende melhorar a circulação dos lisboetas através da recuperação de vias e arruamentos.

O programa está disponível no site da Câmara de Lisboa.

Aos jornalistas, Fernando Medina (PS) explicou que o plano "Pavimentar Lisboa" resulta do reconhecimento do "elevado estado de degradação dos pavimentos, nas estradas e passeios, da cidade".

"Tínhamos a ambição de dar um salto qualitativo e quantitativo na vida dos lisboetas e, por isso, nos próximos dois anos, será feita uma intervenção em 150 arruamentos da cidade, numa extensão de cerca de 100 quilómetros e num investimento de 25 milhões de euros", disse o autarca.

Fernando Medina sublinhou que a intenção assenta em "mais segurança, mais conforto e melhor mobilidade", quer para quem ande de carro, ou a pé, com qualquer limitação física que tenha.

O tipo de obras, segundo explicou, irá variar consoante os problemas detetados nos diferentes arruamentos, sendo que, em algumas vias, a intervenção terá de ser "de fundo", com a substituição integral da pavimentação.

Os passeios, sempre que se justifique, serão nivelados para facilitar a mobilidade das pessoas com dificuldades, bem como as passadeiras, que, em alguns casos, serão táteis para servir os invisuais.

Afirmando-se consciente de que "nem tudo será perfeito", o presidente da Câmara de Lisboa disse ainda dispor-se a "prestar contas" aos munícipes e, por isso, convocará, trimestralmente, uma conferência de imprensa para fazer o balanço do plano de intervenção.

"Este é um programa que queremos que seja transparente, aberto e monitorizado pelos lisboetas. A câmara expõe-se à avaliação sistemática para criar confiança", sustentou.

O autarca alertou ainda para eventuais alterações de calendário, uma vez que há necessidade de coordenar as obras com vista a "causar o menor impacto possível" no trânsito.

Para este ano, a previsão é intervir em 40 arruamentos, num investimento de 10 milhões de euros.

A Avenida das Forças Armadas, a Avenida Gago Coutinho, a Avenida Estados Unidos da América, Entrecampos e Campo Grande serão algumas das zonas onde irão decorrer as obras.

Em 2016, a grande intervenção será feita na Segunda Circular, que "já não tem uma intervenção de fundo há várias décadas", segundo Fernando Medina.

"Há pontos negros a ser corrigidos e há problemas de segurança. Por isso, queremos que seja uma via mais amigável e segura", frisou.

As obras previstas no plano já arrancaram em algumas zonas da cidade. 

Um dos principais eixos de Campo de Ourique, a rua Sampaio Bruno, local escolhido para a conferência de imprensa de hoje, está já a ser intervencionada e os trabalhos deverão estar concluídos dentro de dois meses.

Depois de "ter sido difícil recuperar da delicada situação financeira de 2007", Fernando Medina considerou este como "um dos mais ambiciosos programas até ao final do mandato".

Com Lusa

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.