sicnot

Perfil

País

Oito distritos e Madeira sob aviso amarelo devido ao calor

Oito distritos de Portugal continental e o arquipélago da Madeira estão hoje sob aviso amarelo devido à previsão de tempo quente, informou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

De acordo com o IPMA, os distritos de Vila Real, Bragança, Viseu, Castelo Branco, Guarda, Portalegre, Évora e Beja e o arquipélago da Madeira estão sob aviso amarelo desde as 05:00 e até às 18:00 de hoje devido à persistência de valores elevados da temperatura máxima.

O aviso amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe uma situação de risco para determinadas atividades que dependem do estado do tempo.

O IPMA prevê para hoje no continente céu geralmente limpo, aumentando de nebulosidade no litoral das regiões centro e sul a partir do fim da tarde e vento em geral fraco, soprando moderado de noroeste no litoral oeste a sul do Cabo Raso, concelho de Cascais, em especial durante a tarde, e de nordeste nas terras altas até final da manhã.

Está também prevista neblina ou nevoeiro matinal na região sul e pequena subida de temperatura nas regiões norte e centro.

Na Madeira, os meteorologistas prevêm períodos de céu muito nublado, apresentando-se em geral pouco nublado nas vertentes sul da ilha e vento moderado de nordeste.

Em Lisboa as temperaturas vão variar entre 17 e 31 graus Celsius, no Porto entre 18 e 30, em Vila Real entre 19 e 36, em Viseu entre 19 e 35, em Bragança entre 16 e 34, na Guarda entre 18 e 34, em Coimbra entre 17 e 33, em Castelo Branco entre 21 e 38, em Portalegre entre 22 e 38, em Évora entre 15 e 35, em Beja entre 15 e 36, em Santarém entre 15 e 34, em Faro entre 21 e 28 e no Funchal entre 21 e 26.

Lusa

  • Moutinho continua sem treinar, Raphael Guerreiro recuperou
    1:35
  • Jorge Jesus emocionado à partida para o Al Hilal
    1:26

    Desporto

    O treinador Jorge Jesus está de partida para a Arábia Saudita, onde vai orientar o Al Hilar. Este sábado, no Aeroporto de Lisboa, emocionou-se quando questionado sobre o que mais lhe custa deixar: "a família e os amigos". Mas também se mostrou certo de que em breve voltará a Portugal.

  • Marcelo já teve alta após "queda abrupta de tensão"
    2:53
  • Portugal quer atrair imigrantes
    1:28
  • A opinião de Francisco Louçã
    14:51

    Opinião

    No habitual espaço de comentário semanal na Edição da Noite, Francisco Louçã analisou o Serviço Nacional de Saúde, o imposto sobre os combustíveis, a guerra entre professores e Governo e a lei das rendas.