sicnot

Perfil

País

Dez feridos em colisão de quatro viaturas no concelho de Santiago do Cacém

 Dez pessoas ficaram hoje feridas numa colisão de quatro viaturas ligeiras que ocorreu às 11:26 no IC1, perto de Alvalade do Sado, Santiago do Cacém, informou o Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal.


Segundo a mesma fonte, todos os envolidos no acidente, que obrigou à interrupção do trânsito nos dois sentidos, ficaram apenas com ferimentos ligeiros.

Cerca das 13:00, os bombeiros ainda procediam a trabalhos de desencarceramento de dois sinistrados.

Para o local do acidente foi mobilizado um helicóptero, duas viaturas de emergência médica - uma de Odemira e outra do Hospital do Litoral Alentejano - e diversos meios dos Bombeiros Voluntários de Alvalade do Sado, Grândola e Aljustrel.

De acordo com os bombeiros, na sequência do acidente, uma das viaturas incendiou-se e as chamas propagaram-se a uma zona de mato, mas a situação foi rapidamente resolvida com a intervenção dos bombeiros.

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Football Leaks

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Football Leaks

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.