sicnot

Perfil

País

Buscas e duas detenções por suspeitas de desvio de subsídios

Está a decorrer uma operação da Policia Judiciária e Ministério Publico na zona da Grande Lisboa. Foram já feitas cerca de 20 buscas a empresas do grupo Lena. Dois empresários foram detidos, um deles pertence a este grupo empresarial. Em causa estão crimes de fraude na obtenção de subsídios e branqueamento de capitais.

A operação da PJ é dirigida pelo Departamento Central de investigação e Ação Penal e conta com a colaboração da Autoridade Tributária.

Presidem a algumas das buscas os dois juízes do Tribunal Central de Instrução Criminal.

Em comunicado, a Polícia Judiciária confirma a "detenção de duas pessoas pela presumível prática dos crimes de fraude na obtenção de subsídio e de branqueamento". Os detidos têm 50 e 54 anos de idade e "serão presentes às Autoridades Judiciárias competentes a fim de serem sujeitos a primeiro interrogatório judicial".

A nota adianta que "a investigação centra-se na atividade desenvolvida através de empresas portuguesas e espanholas, que obtiveram, de forma fraudulenta, subsídios de elevados montantes". O Estado terá sido prejudicado em "vários milhões de euros".

Esta operação em nada está ligada à operação Marquês.

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.