sicnot

Perfil

País

Buscas e duas detenções por suspeitas de desvio de subsídios

Está a decorrer uma operação da Policia Judiciária e Ministério Publico na zona da Grande Lisboa. Foram já feitas cerca de 20 buscas a empresas do grupo Lena. Dois empresários foram detidos, um deles pertence a este grupo empresarial. Em causa estão crimes de fraude na obtenção de subsídios e branqueamento de capitais.

A operação da PJ é dirigida pelo Departamento Central de investigação e Ação Penal e conta com a colaboração da Autoridade Tributária.

Presidem a algumas das buscas os dois juízes do Tribunal Central de Instrução Criminal.

Em comunicado, a Polícia Judiciária confirma a "detenção de duas pessoas pela presumível prática dos crimes de fraude na obtenção de subsídio e de branqueamento". Os detidos têm 50 e 54 anos de idade e "serão presentes às Autoridades Judiciárias competentes a fim de serem sujeitos a primeiro interrogatório judicial".

A nota adianta que "a investigação centra-se na atividade desenvolvida através de empresas portuguesas e espanholas, que obtiveram, de forma fraudulenta, subsídios de elevados montantes". O Estado terá sido prejudicado em "vários milhões de euros".

Esta operação em nada está ligada à operação Marquês.

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.