sicnot

Perfil

País

"Não estou numa postura do: é preciso ganhar custe o que custar"

Entrevista na íntegra

"Não estou numa postura do: é preciso ganhar custe o que custar"

Pedro Passos Coelho disse, esta noite, em entrevista exclusiva à SIC, que não quer uma vitória nas eleições legislativas a todo o custo. O primeiro-ministro sublinha que é preciso uma maioria estável e inequívoca na próxima legislatura, mas afirma que para ganhar as eleições não vale tudo. Durante a conversa com a jornalista Clara de Sousa, o chefe do Governo português prometeu devolver a sobretaxa e reduzir a carga fiscal dos portugueses nos próximos quatro anos. Quando foi confrontado sobre se não teria já sido possível ter aliviado a austeridade, Passos Coelho disse que o Executivo optou pela prudência. Sobre o programa de António Costa, considerou-o irrealista. Passos Coelho voltou ainda a desafiar o Partido Socialista para uma reforma da Segurança Social. E sobre as presidenciais só fala a partir de Outubro.

  • "É muito importante para Portugal que haja estabilidade política"
    3:18

    País

    Passos Coelho defende que das próximas legislativas deve resultar um "ganhador inequívoco", com maioria absoluta para governar, quer seja a maioria ou o PS. O primeiro-ministro frisa que não está garantida uma vitória dos socialistas nas eleições e apela ao voto útil na coligação, em nome da estabilidade do país.

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45

    País

    Durante a abertura do ano judicial, a Procuradora-Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal aproveitaram para deixar um recado à ministra da Justiça: é urgente aprovar o novo estatuto de juízes e magistrados. O presidente do Supremo diz que é injusta a má imagem da Justiça e pediu contenção aos magistrados.

  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38