sicnot

Perfil

País

25 anos de prisão para Manuel "Palito"

Manuel Baltazar, mais conhecido por "Palito", foi condenado esta manhã à pena máxima. Era acusado de ter matado duas mulheres e ferido outras duas, em abril de 2014, em São João da Pesqueira.

Nuno Andre Ferreira

O tribunal de Viseu considerou provado que Manuel "Palito" tinha a intenção de matar as quatro vítimas, disparando contra a filha e a ex-mulher (Sónia Baltazar e Maria Angelina Baltazar, que ficaram feridas) e duas familiares desta (a tia e a mãe, Elisa Barros e Maria Lina Silva, que morreram).

Durante a leitura do acórdão, a juíza referiu-se à "monstruosidade" do homem e justificou a pena com o facto de estes crimes terem de ser punidos com pena máxima.

Os crimes foram cometidos em Valongo dos Azeites, no concelho de São João da Pesqueira (distrito de Viseu), quando as quatro mulheres estavam num armazém onde existe um forno, a fazer bolos para a Páscoa.

Com Lusa

  • Ministério Público pede a condenação máxima para "Manuel Palito"
    1:28

    País

    O Ministério Público pediu a condenação máxima para o homicida que, no ano passado, matou duas mulheres e feriu outras duas em São João da Pesqueira, num caso que se tornou mais mediático depois de uma fuga às autoridades que durou mais de um mês. A defesa de Manuel Palito alega que o arguido agiu por impulso e não quis matar a ex-mulher e a filha.

  • Defesa de Manuel "Palito" diz que o arguido nunca tentou matar a filha
    0:42

    País

    A leitura do acórdão de Manuel "Palito" foi adiada para o dia 10 de julho. O adiamento foi pedido pela defesa devido a uma alteração processual. O coletivo de juízes deu como provada a existência de quatro disparos, embora só existam provas físicas de três. A defesa do presumível homicida de São João da Pesqueira, que está acusado de ter assassinado duas mulheres e provocado ferimentos a outras duas, diz que o arguido nunca tentou matar a filha e, por isso, pediu um adiamento para responder a esta alteração.

  • Peritos deram consistência à tese dos quatro disparos no caso Manuel Palito
    0:31

    País

    A leitura do acórdão de Manuel Palito está marcada para amanhã de manhã. Esta tarde, decorreu a última sessão, na qual foram ouvidos três peritosque tentaram esclarecer quantos disparos foram feitos por Manuel Palito em Abril do ano passado quando matou duas mulheres e feriu outras duas. A tese dos quatro disparos acabou por ganhar consistência, mas para a defesa do arguido o tribunal não analisou devidamente os depoimentos dos médicos legistas e dos inspectores da polícia judiciária.

  • Primeiro-ministro hoje na cidade da Praia 

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, está hoje em Cabo Verde para a a IV cimeira bilateral entre Portugal e aquele país africano, aproveitando a passagem pela cidade da Praia para inaugurar a escola portuguesa.

  • Deputados britânicos debatem hoje petição que desvaloriza visita de Donald Trump

    Mundo

    Os deputados britânicos debatem hoje uma petição que reclama que a futura visita de Estado do Presidente norte-americano, Donald Trump, seja reduzida a uma visita oficial, enquanto dezenas de milhares de pessoas se manifestam sobre o mesmo assunto. Dezenas de milhares de pessoas são esperadas hoje nas ruas de várias cidades do Reino Unido, em protestos organizados para coincidir com a discussão no parlamento (na Câmara dos Comuns) de uma petição 'online' que já tem quase dois milhões de subscritores.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Matteo Renzi demite-se da liderança do Partido Democrático

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro italiano Matteo Renzi demitiu-se hoje da liderança do Partido Democrata (PD), uma decisão que faz parte de uma estratégia para retomar o controlo da formação de centro-esquerda, onde uma minoria mais à esquerda ameaça cindir-se.