sicnot

Perfil

País

Concessão do Oceanário de Lisboa foi formalizada

A concessão por 30 anos do Oceanário de Lisboa à Sociedade Francisco Manuel dos Santos (SFMS), através da Fundação Oceano Azul, foi hoje formalizada em Lisboa com a assinatura do contrato de alienação das ações daquele equipamento.

ANT\303\223NIO COTRIM

A missão da Fundação Oceano Azul passa por "mobilizar a sociedade portuguesa para a temática dos oceanos", referiu hoje o administrador da SFMS José Soares dos Santos. A sociedade pretende tornar a Fundação, "em conjunto com o Oceanário, como referência - primeiro europeia e depois mundial - de conhecimento, de ciência e de cultura sobre os oceanos".

O Conselho de Ministros aprovou a 02 de julho a concessão do Oceanário de Lisboa à SFMS, que apresentou uma proposta de "mérito inquestionável" com um encaixe financeiro para o Estado de 114 milhões de euros.

Dos 114 milhões de euros, 24 milhões são relativos à alienação das ações da sociedade concessionária do Oceanário de Lisboa e o resto à concessão do oceanário por 30 anos, num total de 79 milhões de euros.

José Soares dos Santos anunciou o "compromisso de a SFMS investir a fundo perdido 40 milhões de euros para os primeiros dez anos de concessão".

Além disso, o responsável garantiu que "todos os fundos gerados -- pelo Oceanário ou parcerias que serão feitos, que tragam ciência, cultura e investimento para Portugal -- serão mantidos dentro da Fundação Oceano Azul e serão todos integralmente reinvestidos no Oceanário, na temática da conservação dos oceanos, desenvolvimento da ciência dos oceanos e da garantia que Portugal se torna uma plataforma de discussão e conhecimento do mar a nível global".

A estratégia da SFMS, do grupo Jerónimo Martins, passa por "manter o Oceanário na missão de serviço público", tornando-o "uma referência global em termos de cultura, ciência e literacia dos oceanos", explicou.

O ministro do Ambiente, Jorge Moreira da Silva, destacou o "excelente resultado" do processo de concessão do Oceanário de Lisboa, "tanto no plano financeiro, 114 milhões de euros, como no plano estratégico".

"Não se trata de compromissos teóricos, a SFMS teve o cuidado de detalhar a forma como vai prosseguir a sua estratégia, que ao aquário público e às suas funções tradicionais associa novas valências: de afirmação internacional, de investigação e desenvolvimento, de conservação dos oceanos e de educação ambiental", afirmou o governante.

De acordo com Jorge Moreira da Silva, "aos 114 milhões de euros que o Estado receberá devem somar-se 110 milhões de euros, que é o que se estima de resultados ao longo dos 30 anos, além do fundo perdido de 40 milhões de euros".

O ministro salientou que este processo de concessão "tem vantagens para os contribuintes, porque evitou-se um impacto negativo que poderia resultar no processo de liquidação da Parque Expo", porque haverá uma "manutenção das atividades que o Oceanário já realiza hoje" e "reforça as valências do Oceanário".

O equipamento, no Parque das Nações, é um dos ativos que o Governo escolheu alienar ou concessionar para ajudar a reduzir a dívida da Parque Expo, sociedade criada a propósito da Expo'98 e atualmente em liquidação, depois de o executivo ter anunciado em 2011 a sua extinção.

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.