sicnot

Perfil

País

GNR fez 45 detenções este ano em ações de vigilância das zonas florestais

A GNR efetuou 45 detenções desde o início do ano em ações de patrulhamento e vigilância das zonas florestais, registando mais 26 detidos do que em igual período de 2014, informou esta quarta-feira a GNR.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

Os dados, recolhidos entre 1 de janeiro e 19 de julho, indicam ainda que 607 pessoas foram identificadas (mais 300 do que em 2014) e o número de ocorrências de incêndio foi de 11.868 (mais 6.953 do que no ano anterior).

O dispositivo da GNR instaurou 749 autos de contraordenação (menos 106 do que em 2014) por infração ao diploma de 2006 relativo ao Sistema Nacional de Defesa da Floresta contra Incêndios.

As ações de primeira intervenção nos incêndios florestais encontram-se a cargo dos 574 militares do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS).

Quanto às ações de vigilância e do patrulhamento das áreas florestais e investigação das causas dos incêndios, estas estão a ser desempenhadas por 948 militares e civis do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA).

Lusa

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.

  • Presidente do Brasil formalmente acusado de corrupção

    Mundo

    O Procurador-Geral da República do Brasil apresentou na noite de segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal uma denúncia contra o Presidente Michel Temer e o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) pelo crime de corrupção passiva.

  • Reconquista de Mossul ao Daesh pode estar para breve
    1:27
  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.