sicnot

Perfil

País

Suspeito de autoria de incêndio florestal em Elvas fica em prisão preventiva

O tribunal de Elvas decretou hoje a prisão preventiva do homem suspeito de autoria de um incêndio florestal, que ocorreu na quarta-feira, no concelho de Elvas, disse à agência Lusa fonte da GNR.

SIC

Segundo a mesma fonte, o homem de 51 anos, detido na quinta-feira, foi hoje submetido a primeiro interrogatório judicial na Instância Local de Elvas da Comarca de Portalegre, que lhe decretou a medida de coação mais grave, ficando a aguardar julgamento no Estabelecimento Prisional de Elvas.

Segundo a Polícia Judiciária (PJ), que deteve o suspeito, o incêndio foi ateado num terreno ocupado por sobreiros, azinheiras e oliveiras que se situa relativamente próximo do perímetro urbano da cidade.

O fogo, refere um comunicado da PJ, "atingiu grande intensidade e terá sido posto na vegetação rasteira existente no local do crime, com recurso a chama direta, tendo provocado a destruição de cerca de dez hectares de coberto vegetal, incluindo danos por carbonização nas árvores ali existentes".

No âmbito das diligências realizadas, segundo a PJ, foi ainda possível recolher elementos que apontam para que "o detido possa ser o autor de pelo menos mais quatro incêndios florestais na mesma zona, situações que irão agora ser investigadas de forma mais aprofundada".

A PJ indica ainda que o detido, que tem "hábitos de alcoolismo, terá agido por razões fúteis".

Segundo fonte da GNR, a detenção do homem resultou de uma investigação, que durava há algum tempo da Polícia Judiciária com o apoio do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da GNR, pelo facto de já se terem registado há alguns dias, focos de incêndio naquela zona.

De acordo com fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Portalegre, já se registaram vários fogos este ano no mesmo local.

Lusa

  • A Verdade sobre a Mentira
    35:13
  • Elemento dos Super Dragões com medida de coação mais gravosa
    1:37

    Desporto

    Os seis arguidos da Operação Jogo Duplo, que investiga crimes de corrupção e viciação de resultados na II Liga de futebol, saíram em liberdade. A medida de coação mais gravosa é para um membro da claque Super Dragões, que terá de pagar uma caução de 5 mil euros.

  • Mais de 120 pessoas com hepatite A
    2:23

    País

    O surto de hepatite A já infetou 128 pessoas, 60 das quais estão internadas em hospitais de Lisboa e Coimbra. A Direção-Geral da saúde recomenda a vacinação apenas aos familiares dos doentes. Apesar de não haver ruptura de stocks, há farmácias que não têm vacinas.

  • Sobreviventes de Mossul relatam mutilações e execuções do Daesh
    1:32