sicnot

Perfil

País

Fenprof acusa tutela de não dar resposta a problemas graves do 1.º ciclo

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) acusou hoje o Ministério da Educação e Ciência de não dar respostas aos "graves problemas" do 1.º ciclo, como "o excessivo número de horas" que as crianças passam nas escolas ou a pluridocência.

(Arquivo Reuters)

"Os professores e os sindicatos representados pela Fenprof estão muito preocupados com o que está a acontecer no 1.º ciclo e o Ministério da Educação não subscreve as nossas preocupações, refugiando-se muitas vezes na autonomia das escolas", criticou o dirigente da Fenprof, Manuel Micaelo, que hoje se reuniu com o secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário, Fernando Egídio Reis.

Em causa para a federação sindical estão questões como o horário dos alunos, e também o dos professores, o aumento da carga letiva para os alunos com a introdução do inglês obrigatório no 3.º ano de escolaridade já a partir de 2015-2016 e a pluridocência num ciclo de ensino onde a regra é a monodocência, ou seja, onde um professor lecionada todas as matérias do 1.º ciclo.

A Fenprof referiu que, no caso da lecionação da disciplina de inglês no 1.º ciclo, a tutela não esclareceu hoje como vai ser resolvido o insuficiente número de professores colocados no novo grupo de recrutamento para dar aulas nesta disciplina, o grupo 120.

Das 1.471 vagas preenchidas no concurso externo (de vinculação, e no qual se fixaram este ano pela 1.ª vez professores ao grupo de inglês do 1.º ciclo) 37 dizem respeito a esse grupo de recrutamento, com os professores a entrarem em funções já em setembro, quando arranca o ensino de inglês para o 3.º ano de escolaridade.

Para este grupo de recrutamento, para o qual o MEC criou 93 vagas, 56 vagas de vinculação ficaram por preencher.

As 37 vagas ocupadas não serão suficientes para dar resposta às necessidades do inglês do 1.º ciclo, cabendo aos diretores escolares lançar nos concursos que se seguem os horários sem docentes colocados e para os quais os professores poderão ainda concorrer.

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.