sicnot

Perfil

País

Dois polícias condenados por agredir jovem alemão serão demitidos da PSP

Os dois agentes da Polícia Segurança Pública (PSP) que foram condenados a prisão efetiva por agressões a um estudante alemão vão ser demitidos por ordem do Ministério da Administração Interna, disse hoje à Lusa fonte policial.

(Arquivo)

(Arquivo)

SIC

A informação foi publicada hoje de manhã em Diário da República, mas apenas em relação a um dos polícias. No entanto, fonte policial avançou à Lusa sabe que o segundo agente envolvido nas agressões também será demitido.

Rui Neto e Osvaldo Magalhães foram condenados pelas antigas varas criminais de Lisboa a quatro anos e três meses e a quatro anos de prisão efetiva, respetivamente, por ofensa à integridade física qualificada, coação grave e abuso de poder, crimes cometidos na esquadra das Mercês, no Bairro Alto, em Lisboa, contra um estudante alemão, na ocasião com 23 anos.

Um aviso da Direção Nacional da PSP, publicado hoje em Diário da República, indica que, por despacho do Ministério da Administração Interna (MAI), datado de 20 de maio deste ano e assinado pela diretora do Gabinete de Deontologia e Disciplina, foi aplicada a pena de demissão ao agente Osvaldo Magalhães, de 33 anos.

Segundo a mesma fonte policial, o agente Rui Neto, atualmente com 32 anos, também vai ser demitido da PSP, esclarecendo que o despacho do MAI só será publicado em Diário da República em data posterior.

O caso remonta a 25 de julho de 2008, quando Adrian Grunert e a namorada apanharam um elétrico: ela entrou, enquanto o jovem pendurou-se na traseira do elétrico e seguiu viagem sem pagar bilhete. No Largo Conde Barão, quando o elétrico estava parado, o jovem foi intercetado pelos dois agentes e levado sozinho para a esquadra.

Ao jovem foram diagnosticadas várias lesões no corpo.

O Tribunal da Relação de Lisboa confirmou as penas decididas pelo tribunal de primeira instância e ordenou, em 2013, que os agentes fossem detidos para cumprirem a pena efetiva de prisão no Estabelecimento Prisional de Évora, o que aconteceu a 05 de abril desse ano.

Os dois arguidos já se encontram em liberdade condicional, segundo os despachos do Tribunal de Execução de Penas de Évora, emitidos em fevereiro e junho deste ano e aos quais a agência Lusa teve hoje acesso.

Lusa

  • "Não se reconstroem serviços públicos em dois anos"
    0:53

    País

    O Ministro da Saúde diz que os problemas do Serviço Nacional de Saúde não se resolvem em dois anos nem se consegue reverter a trajetória de desinvestimento e delapidação dos serviços públicos até 2019, ou até ao final da legislatura. Em entrevista ao jornal Público e à rádio Renascença, Adalberto Campos Fernandes admitiu ainda que é contra a eutanásia, mas garante que o SNS estará pronto a aplicar a lei, se assim for decidido pelo Parlamento.

  • Mulher de português raptado em Moçambique faz apelo ao Governo
    0:24

    País

    Salomé Sebastião, a mulher do empresário português raptado em julho de 2016, em Moçambique, foi esta quarta-feira ouvida na Comissão Parlamentar de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas, no âmbito da petição entregue na Assembleia da República. A petição, subscrita por mais de quatro mil pessoas, pede aos deputados portugueses que pressionem as autoridades moçambicanas a investigar o paradeiro do português Américo Sebastião.

  • Sismo de magnitude 5,5 no sul do Irão

    Mundo

    Um sismo de magnitude 5,5 atingiu esta quinta-feira o sul do Irão, perto de uma unidade nuclear, abalando o Bahrein e outras áreas ao redor do Golfo Pérsico, segundo o Serviço Geológico dos EUA.

  • Princesa do Dubai que estava em fuga foi levada de volta a casa

    Mundo

    Latifa Mohamed al Maktoum, uma das filhas do emir do Dubai e primeiro-ministro dos Emirados Árabes Unidos, estava em fuga desde março. Latifa tinha partilhado um vídeo onde revelava que ia fugir e explicava os motivos. Fonte próxima do Governo do Dubai garantiu que a princesa foi levada de volta a casa.

    SIC

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte I)
    35:45

    Operação Marquês

    A acusação da Operação Marquês diz que, em 5 anos, foram pagos quase 36 milhões de euros de luvas a José Sócrates. A maior fatia veio do Grupo Espírito Santo. O Ministério Público fala em pagamentos por decisões políticas sobre negócios da PT, alegadamente em benefício de Ricardo Salgado. Além de Sócrates, também Zeinal Bava e Henrique Granadeiro terão recebido dezenas de milhões de euros do ex-banqueiro. Nesta primeira parte da reportagem "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês", começamos a seguir do rasto desse dinheiro, conduzidos pelas pistas deixadas à investigação, nos registos secretos de um director do Grupo Espírito Santo.

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte II)
    24:59

    Operação Marquês

    O Ministério Público estima que, em apenas 8 anos, a ES Enterprises movimentou mais de três mil milhões de euros. E sempre à margem de qualquer controlo. Na tese da Operação Marquês, foi desta empresa fantasma que saiu a maior parte das luvas alegadamente pagas por Ricardo Salgado a José Sócrates, Zeinal Bava, Henrique Granadeiro e Hélder Bataglia, por causa dos negócio da PT. Na primeira parte da grande reportagem "Oui, Monsieur - o saco azul do marquês" vimos como o chumbo da OPA da SONAE à PT terá sido o primeiro desses negócios.Agora, olhamos para outros pagamentos milionários e procuramos perceber o que está atrás desse alegado saco azul. A investigação concluiu que era financiado através de operações financeiras complexas, por vezes com dinheiro dos clientes do BES.