sicnot

Perfil

País

Fogo na zona do Alqueva destruiu 1.300 hectares

Cerca de 1.300 hectares de montado e mato foram destruídos pelo incêndio na zona do Alqueva, no concelho de Portel, Évora, segundo as estimativas das autoridades, disse hoje à agência Lusa fonte da GNR.

O fogo está a destruir áreas de mato, eucaliptal, montado e pasto na Serra do Meio, freguesia de Alqueva, no concelho de Portel, distrito de Évora. (Arquivo)

O fogo está a destruir áreas de mato, eucaliptal, montado e pasto na Serra do Meio, freguesia de Alqueva, no concelho de Portel, distrito de Évora. (Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

O comandante operacional distrital de Évora, José Ribeiro, explicou à Lusa que o fogo, que deflagrou em Alqueva na tarde de segunda-feira e foi considerado extinto durante a manhã de hoje, foi o maior desde o início deste ano no distrito de Évora.

Quanto às causas do incêndio, a fonte da GNR disse à Lusa não haver, por enquanto, quaisquer suspeitas, estando as investigações a cargo do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) do Comando Territorial de Évora.

Além de montado de sobreiro e mato, o incêndio destruiu eucaliptal e pasto na Serra do Meio, na freguesia de Alqueva, mas não colocou casas em risco.

Depois de dominado cerca das 07:00 de hoje, o fogo foi considerando extinto durante a manhã, mantendo-se o dispositivo no local em vigilância para evitar reacendimentos, explicou o responsável do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS).

Segundo José Ribeiro, as operações de combate às chamas foram dificultadas pelo "vento forte e inconstante" e pelos difíceis acessos.

O dispositivo que se encontra hoje no terreno é composto por 251 operacionais, incluindo reforços oriundos de Beja, Setúbal e Lisboa, apoiados por 85 viaturas e um helicóptero.

O fogo deflagrou pelas 15:17 de segunda-feira e chegou a ter três frentes ativas.

Lusa

  • Fogo na zona do Alqueva dominado

    País

    O incêndio na freguesia do Alqueva, Portel, já se encontra dominado, mas vai seguir para o local um helicóptero para ajudar no trabalho de consolidação, disse à Lusa o segundo comandante do CDOS de Évora.

  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • Esquerda contra a venda do Novo Banco
    1:51

    Economia

    O futuro do Novo Banco promete agitar a maioria de esquerda nas próximas semanas. O Bloco de Esquerda e o PCP estão contra os planos de privatização e insistem que a solução é nacionalizar o banco. O Bloco de Esquerda defende que privatizar 75% é o pior de dois mundos. Já o PCP diz que o banco deve ser integrado no setor público.

  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32

    País

    Há cada vez mais homens e idosos a pedirem ajuda à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. Segundo o relatório anual da APAV conhecido esta segunda-feira, foram identificadas quase 10 mil vítimas de violência no ano passado. Cerca de 80% são mulheres casadas e com cerca de 50 anos.