sicnot

Perfil

País

Marinha portuguesa em missão em Espanha para controlar fluxos migratórios

O navio patrulha "Viana do Castelo" participa a partir de hoje, pelo segundo ano consecutivo, numa missão internacional para controlar fluxos migratórios do norte de África em águas espanholas e nas fronteiras com a Argélia e Marrocos.

Navio "Viana do Castelo"

Navio "Viana do Castelo"

marinha.pt

De acordo com o porta-voz da Marinha Portuguesa, Paulo Vicente, o navio patrulha 'NRP Viana do Castelo' zarpa hoje, pelas 15:00, da base naval do Alfeite, Almada, repetindo a experiencia "bem sucedida" do ano passado.

"O NRP Viana do Castelo vai participar, em colaboração com a agência Frontex, pelo segundo ano consecutivo, na missão Indalo 2015", que é supervisionada pela Frontex, da União Europeia, "que controla fluxos migratórios provenientes do norte de África numa zona específica que é o sul de Espanha", disse Paulo Vicente à agência Lusa.

A operação Índalo, que se realiza no Mediterrâneo ocidental, em águas espanholas e nas fronteiras marítimas com a Argélia e com Marrocos, tem como finalidade detetar, identificar e impedir a atividade ilegal de embarcações envolvidas na atividade associada aos fluxos migratórios irregulares e prestar socorro sempre que necessário.

Paulo Vicente adiantou que no navio português, além dos 67 militares embarcados, seguem dois inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), já que é esta a autoridade responsável pelo controlo irregular da emigração em Portugal, e um oficial de ligação espanhol.

De acordo com o responsável da Marinha portuguesa, a zona que o navio vai patrulhar "não tem um grande fluxo migratório como aquele que se regista em outras zonas do Mediterrâneo", caso de Itália", e quando são detetados os migrantes estes estão já mais junto a terra, no sul de Espanha.

"Em termos genéricos, espera-se que nesta altura do ano, e com as condições meteorológicas mais favoráveis, as pessoas, infelizmente, tentem mais este ilícito de cruzar a linha do mediterrâneo numa zona muito mais estreita, junto ao Estreito de Gibraltar", explicou Paulo Vicente.

O navio da Marinha portuguesa, comandado pelo capitão-tenente Jorge Miguel Morais Chumbo, irá assegurar mais de 500 horas de patrulha e está previsto que percorra cerca de 4.000 milhas marítimas na área de operações.

De acordo com a Guardia Civil Espanhola, no ano passado foram intercetados 4.114 imigrantes ilegais e 328 embarcações, na vigilância nas águas orientais espanholas durante o verão.

Lusa

  • Passos Coelho diz que UE não tem dado resposta aos fluxos migratórios
    0:59

    Mundo

    O primeiro-ministro ponta o dedo à União Europeia na resposta aos fluxos migratórios ilegais no Mediterrâneo. Pedro Passos Coelho diz que nunca foi dito aos Estados Membros o que faz falta para concertar a estratégia para um problema comum, com várias raízes e que compromete a segurança do continente. Declarações em Málaga, na visita ao destacamento da Força Aérea Portuguesa que integra a Operação Indalo, uma missão da Frontex, a Agência europeia responsável pela gestão das fronteiras.

  • Cameron preocupado com incursão de migrantes ilegais
    0:26

    Mundo

    O primeiro-ministro David Cameron considera que o Reino Unido está perante uma situação "muito preocupante", com a incursão de migrantes ilegais através do Canal da Mancha. Garante estar a trabalhar com as autoridades francesas para encontrar uma solução para o problema.

  • Passos elogia escolha de Paulo Macedo mas diz que não é suficiente
    1:47

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho diz que Paulo Macedo é competente para liderar os destinos da Caixa Geral de Depósitos, mas que a nomeação do antigo ministro não é suficiente para passar uma esponja sobre o assunto. Em Viseu, o líder do PSD não quis ainda avançar com um nome para a Câmara de Lisboa, depois de Santana Lopes afastar a hipótese de se candidatar.

  • O impacto e as consequências do referendo em Itália
    1:02
  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.