sicnot

Perfil

País

Praia de Dona Ana no Algarve já não é de ouro

A Quercus anunciou que suspendeu a classificação "Qualidade de Ouro" atribuída à praia de Dona Ana, em Lagos, Algarve, aquela que chegou a ser a melhor praia portuguesa e a 20ª melhor da Europa eleita pelos utilizadores do Trip Advisor, um dos principais sites de viagens do mundo.

Agora considerando que as obras realizadas comprometeram o equilíbrio ambiental e paisagístico que fundamentam a atribuição deste galardão, a Dona Ana já não é de ouro.

Em causa estão as intervenções recentes realizadas na praia por decisão governamental, que compreenderam a recarga artificial de areia, numa extensão de 40 metros, a construção de um esporão para reter sedimentos e a consolidação de arribas.

"Para além de alterarem significativamente a paisagem natural característica da praia da Dona Ana, colocam em causa a conservação e a proteção de ecossistemas marinhos de elevada biodiversidade, nomeadamente a destruição de dois roteiros subaquáticos identificados pela Universidade do Algarve", critica a associação ambientalista, num comunicado enviado à agência Lusa.

Para a Quercus, estas intervenções "não se justificam" devido ao seu custo elevado (1,8 milhões de euros) e ao seu caráter temporário.

As obras foram aprovadas em 2012 e não passaram por uma Avaliação de Impacte Ambiental.

O presidente da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), Nuno Lacasta, justificou que o contrato relativo à intervenção foi assinado quase um ano antes da nova lei de impacte ambiental pelo que as obras não estavam sujeitas a esta avaliação.

Já o ministro do Ambiente, Jorge Moreira da Silva, assegurou que "a segurança" foi o motivo que justificou as obras de alimentação artificial na praia Dona Ana.

A intervenção estava prevista desde 1999 no Plano de Ordenamento da Orla Costeira (POOC) Vilamoura/Burgau, mas só arrancou no terreno em abril deste ano, tendo sido concluída este mês.

Os ambientalistas defendem que a segurança dos veraneantes "não passa pela destruição da beleza paisagística" das praias, mas por campanhas de sensibilização e por limitar o número de utentes, medida que consideram "fundamental em praias de arribas instáveis", como a de Dona Ana.

"É importante ainda salientar que, a crescente construção de hotéis e habitações privadas em domínio público hídrico, reflete o deficiente ordenamento do território na região do Algarve, constituindo a grande causa para a degradação das arribas", alerta também a Quercus, apelando à "rápida atuação do poder político" no sentido de proibir e retirar habitações que se encontram em zonas assinaladas com elevado perigo de derrocada.

A Quercus salienta que, embora a classificação "Qualidade de Ouro" atribuída às praias nacionais em 2015 tenha sido baseada na análise à qualidade da água realizada pela APA -- Agência Portuguesa do Ambiente, "não pode deixar de tomar em conta" acontecimentos que colocam em causa o equilíbrio ambiental e paisagístico.

"Outros casos excecionais como este serão devidamente analisados, no sentido de se ponderar semelhantes suspensões do galardão atribuído", acrescenta a associação ambientalista

Com Lusa

  • "A banca parece que não aprendeu nada com a bolha imobiliária de 2008"
    3:23

    Opinião

    O Governo quer limitar a venda de produtos financeiros pelos bancos. Está no parlamento uma proposta de lei que penaliza as más práticas comerciais e tenta proteger os clientes, evitando abusos e encargos excessivos e obrigando os bancos a prestarem-lhes mais informação. A proposta prevê ainda que seja dada mais formação aos funcionários. Miguel Sousa Tavares considera a decisão do Governo acertada uma vez que protege os interesses dos clientes. O comentador da SIC faz ainda referência ao ano 2008, início da crise no ramo imobiliário por "culpa dos credores".

    Miguel Sousa Tavares

  • PSP apreende 11 armas e 700 quilos de droga
    0:59

    País

    A PSP recuperou mais três das 57 pistolas Glock que foram dadas como desaparecidas da Direção Nacional da Polícia de Segurança Pública, há mais de um ano. As armas foram apreendidas na última madrugada durante uma operação de combate ao tráfico de estupefacientes. Três pessoas foram detidas. Além das três Glock que pertenciam à PSP, foram aprendidas mais 11 armas e 700 quilos de droga.

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser "derrotada como todos os outros"

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47

    Opinião

    Donald Trump admite regras mais apertadas para quem compra armas, isto após o tiroteio numa escola da Florida que fez 17 mortos. Miguel Sousa Tavares defende que os Estados Unidos da América são "uma sociedade de pistoleiros" e diz que a Associação Nacional de Rifles "gasta muito dinheiro" para conseguir que as leis não sejam mudadas no Senado.

    Miguel Sousa Tavares