sicnot

Perfil

País

Mãe que fugiu com bebé só pode contactar com o filho acompanhada

A mulher que deixou o Hospital de Faro com o filho recém-nascido foi esta sexta-feira indiciada por exposição ou abandono e só pode contactar com a criança enquanto esta estiver internada no serviço de Neonatologia se estiver acompanhada.

LU\303\215S FORRA

As medidas de coação, que incluem tamb+em termo de identidade e residência, foram anunciadas pelo oficial de justiça de serviço no Tribunal de Família e Menores de Faro, na sequência de várias horas de interrogatório.

A mulher pode visitar o recém-nascido se for acompanhada por uma assistente social ou por uma enfermeira do serviço.

O crime de exposição ou abandono é punível com prisão de dois a cinco anos, de acordo com as informações prestadas à porta do tribunal.

A mulher que, no passado domingo deixou o Hospital de Faro com o filho recém-nascido, a necessitar de cuidados médicos, e regressou àquela unidade na quinta-feira, foi detida nesse mesmo dia e foi hoje presente a tribunal.

Mãe e filho estavam "aparentemente bem", segundo declarações dos responsáveis hospitalares.

Em declarações aos jornalistas à porta da unidade hospitalar horas depois de a mulher ter voltado com o seu filho, a pediatra de serviço na Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais Maria Alfaro disse que "felizmente o bebé chegou em boas condições" e que "a mãe estava muito arrependida".

"Entregou o bebé em boas condições de higiene, aparentemente está bem. Agora vamos avaliar o bebé, o estado de saúde, a parte familiar, social e logo se vê", disse na altura a médica.

Lusa

  • As vítimas do ataque de Londres

    Ataque em Londres

    O ataque desta quarta-feira ao Parlamento britânico em Londres fez quatro mortos, incluindo o atacante. Cerca de 40 pessoas de 11 países diferentes ficaram feridas, entre as quais 29 precisaram de ser levadas para o hospital, onde sete continuam em estado crítico.

    Ana Rute Carvalho

  • Inclusão social em Évora
    2:08

    País

    Mais de 40 empresas do distrito de Évora abriram as portas durante um dia a pessoas portadoras de deficiência. É ideia foi sublinhar a importância da  inclusão no mercado de trabalho.