sicnot

Perfil

País

Polícia reforça meios junto às saídas das principais cidades a partir das 19:30

A Polícia de Segurança Pública anunciou esta sexta-feira que vai reforçar, a partir das 19:30, os meios no terreno nas principais estradas de saída de cidades como Lisboa, Porto e Setúbal, devido ao previsível aumento da circulação rodoviária ligado às férias.

Também a Guarda Nacional Republicana (GNR) está a intensificar, entre hoje e o próximo domingo, as ações de patrulhamento e apoio aos utentes das vias rodoviárias, orientando o esforço para os itinerários mais críticos na sua área de atuação. (Arquivo)

Também a Guarda Nacional Republicana (GNR) está a intensificar, entre hoje e o próximo domingo, as ações de patrulhamento e apoio aos utentes das vias rodoviárias, orientando o esforço para os itinerários mais críticos na sua área de atuação. (Arquivo)

SIC

"É esperado, nas próximas horas, um grande fluxo de automóveis e famílias a saírem das principais cidades. Ciente dessa realidade, a PSP [Polícia de Segurança Pública] encontra-se a reforçar os principais eixos viários de saída das principais cidades do país, onde destacamos os referentes às cidades de Lisboa, Porto e Setúbal", refere em comunicado a Direção Nacional da PSP.

A PSP indica que vai reforçar os meios na Ponte 25 de abril, sentido norte-sul, junto às instalações da Gestiponte; no Porto, na estrada da Circunvalação, em ambos os sentidos, e na rotunda da AEP; e em Setúbal, no cais de embarque para Troia e no acesso/entrada na Autoestrada n.º12.

Ainda no âmbito da Operação "Verão Seguro -- Polícia Sempre Presente", e "considerando a chegada massiva ao Algarve", a PSP "reforçará a sua visibilidade e ação em Vila Real de Santo António, Tavira, Faro, Portimão, Olhão e Lagos, principalmente a partir das 21:00" de hoje.

Também a Guarda Nacional Republicana (GNR) está a intensificar, entre hoje e o próximo domingo, as ações de patrulhamento e apoio aos utentes das vias rodoviárias, orientando o esforço para os itinerários mais críticos na sua área de atuação.

O objetivo, segundo um comunicado da GNR, é o de "garantir uma deslocação em segurança aos cidadãos de/para locais de veraneio e/ou eventos de diversa natureza próprios desta altura do ano".

Durante os três dias da terceira fase da "Operação Hermes", serão empenhados cerca de 3.000 militares do efetivo da Unidade Nacional de Trânsito e dos Comandos Territoriais que, além da atuação preventiva e de apoio, estarão particularmente atentos aos comportamentos de risco dos condutores que coloquem em causa a segurança rodoviária, salienta a Guarda.

Durante este fim-de-semana, os cintos de segurança e os sistemas de retenção de crianças estarão sob especial atenção da GNR, mas a polícia também estar atenta a condução sob o efeito do álcool e de substâncias psicotrópicas, o excesso de velocidade, o uso de telemóveis durante a condução ou manobras perigosas de ultrapassagem, mudança de direção ou inversão do sentido da marcha.

Lusa

  • Menino perdido na Praia da Luz foi levado à GNR por turista
    1:11

    País

    Um menino inglês, de sete anos, esteve desaparecido na quinta-feira na Praia da Luz, no Algarve, depois de se ter perdido dos pais. A GNR colocou duas equipas de investigação no local, mas ao fim de uma hora e meia o rapaz apareceu na esquadra de Lagos acompanhado por um turista a quem terá pedido ajuda.

  • Mais viagens mas menos turistas de Portugal
    1:22

    País

    Os residentes em Portugal - sejam portugueses ou estrangeiros - realizaram quatro milhões de viagens turísticas, só no primeiro trimestre do ano. Um aumento de mais de 6% nas viagens dentro do país face ao período homólogo e de mais de 15% nas viagens para fora, de avião. O estudo é do INE, o Instituto Nacional de Estatística, que permite fazer o retrato mais claro de quem viaja e porquê.

  • Algarve sozinho gera metade dos bens transacionáveis em Portugal
    4:14

    SIC 25 Anos

    O Algarve quase não tem indústria e os especialistas consideram que é excessivamente dependente do turismo. Ainda assim, sozinho contribui com metade do que Portugal gera em bens transacionáveis. A região tem problemas graves, como a falta de médicos e um custo de vida muito alto, mas continua a atrair a maior parte dos turistas e muitos estrangeiros decidem mesmo escolher a região para viver.