sicnot

Perfil

País

Turistas e comerciantes criticam obras em praias da costa alentejana no verão

As obras de requalificação em praias da costa alentejana, em plena época balnear, têm incomodado turistas, residentes e comerciantes, que "compreendem a necessidade" das intervenções, mas questionam a sua execução no verão.

TIAGO CANHOTO

Barulho, poeira e maior dificuldade no acesso à praia são algumas das queixas ouvidas pela agência Lusa junto às praias do Malhão e da Zambujeira do Mar, no concelho de Odemira, no distrito de Beja, onde decorrem obras de requalificação promovidas pela Sociedade Polis Litoral Sudoeste.

"Não deviam fazer a obra nesta altura do ano", lamenta Nuno Miguel, que conhece bem a praia do Malhão, onde está de férias com a família, reconhecendo que "era preciso a obra, mas não em pleno verão".

Também Fernando Guerreiro, que reside na Zambujeira do Mar, crítica a altura escolhida para os trabalhos.

"Alguns [turistas] vêm e vão embora, outros ficam, mas tem estado cá menos gente do que é habitual nesta altura", observa.

Com uma loja virada para a frente marítima, numa rua de acesso à praia da Zambujeira, que está cortada, dona Guiomar, como se apresenta, reconhece que as "obras eram mesmo necessárias", mas diz ter sido prejudicada, notando "uma quebra muito grande no movimento".

"Os turistas não vêm aqui. As únicas pessoas que aparecem são os clientes habituais, que sabem que têm de vir pelas traseiras", lamenta também a proprietária do estabelecimento de restauração vizinho, Maria Isabel Bastos, observando que o acesso está ainda dificultado a fornecedores, que "têm de carregar as caixas à mão".

Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara de Odemira, José Alberto Guerreiro, reconhece "o incómodo", mas lembrou que "estão a ser criadas condições para o futuro".

"Ninguém tem agrado em fazer obras na via pública nesta altura", mas, "se este ano há incómodo, para o ano teremos imagem renovada", diz, exemplificando com a praia do Malhão, onde "estão a ser criados dois parques de estacionamento com capacidade para 700 automóveis, que vão contribuir para evitar o pisoteio das arribas e a erosão da costa".

Com a chegada do festival Sudoeste, entre os dias 05 e 09 deste mês, que atrai anualmente à Zambujeira do Mar milhares de pessoas, surgem também preocupações com a mobilidade, que o presidente da Sociedade Polis Litoral Sudoeste, André Matoso, assegura ter sido acautelada.

"Contactámos a organização do festival e enviámos informação relativa ao condicionamento do trânsito", explica, adiantando à Lusa ter sido sugerido que o público fosse "sensibilizado" para frequentar "outras praias" da zona, como as de Alteirinhos e Almograve, ao mesmo tempo que "o ritmo de obras vai ser diminuído".

O mesmo responsável recorda que, antes de avançar para o terreno, houve "sessões públicas", em que se recolheram sugestões para "soluções de faseamento de obra que foram adotadas" para "minimizar impactos".

"Temos a noção que está a causar prejuízos comerciais, mas no futuro será um ganho", considera.

André Matoso justifica o período de execução das obras, que abrange o verão, com a necessidade de garantir a sua conclusão antes do final do ano, prazo imposto no âmbito do Programa Operacional Temático de Valorização do Território, que cofinancia o projeto.

Além de Zambujeira do Mar e do Malhão, em Odemira, também a costa de Santo André, no concelho de Santiago do Cacém, a praia da Samouqueira, em Sines, e a praia de Odeceixe, em Aljezur (Algarve), estão a ser intervencionadas durante a época balnear, com projetos de requalificação que ultrapassam ao todo os 4,5 milhões de euros.

As obras em aglomerados costeiros e zonas balneares, com diferentes intervenções em cada projeto, incluem a qualificação e valorização do espaço público, a reformulação da rede de abastecimento de água e de esgotos, a melhoria da circulação pedonal e, entre outras ações, o ordenamento do estacionamento e dos acessos.

Lusa

  • "Se Portugal não confia no sistema judicial de Angola não deve fazer negócios com o país"
    18:27

    País

    O julgamento do caso Fizz arrancou esta segunda-feira. Victor Silva, diretor do Jornal de Angola, esteve na Edição da Noite para analisar como estão as relações entre Portugal e Angola, numa altura em que Manuel Vicente viu recusada a transferência do processo para o país angolano. Victor Silva afirmou que a decisão de "separar os processos vai de encontro aos interesses dos dois estados" e vai mais longe ao dizer que se Portugal "não confia no sistema judicial de Angola então não pode fazer negócios com o país".

  • Obras no Estádio do Estoril já começaram

    Desporto

    A Câmara de Cascais emitiu esta segunda-feira um comunicado a informar que já começaram os trabalhos no Estádio do Estoril e que, segundo a autarquia, seguem as recomendações do Laboratório Nacional de Engenharia Civil.

  • Centeno promete avançar com reformas para a zona euro
    1:45

    Economia

    Mário Centeno liderou esta segunda-feira a primeira reunião do Eurogrupo. O ministro das Finanças português prometeu pôr mãos à obra para reformar a zona euro e, sem se comprometer com datas, deixou a porta entreaberta à entrada da Bulgária na zona euro.

  • Será este o "momento mais Ronaldo" de sempre?

    Desporto

    Cristiano Ronaldo é protagonista de mais um momento que corre nas redes sociais. Depois de marcar o sexto golo do Real Madrid frente ao Desportivo da Corunha, o jogador português ficou ferido no rosto e foi obrigado a abandonar o campo. Mas antes, mesmo com a cara ensanguentada, pediu um telemóvel com "espelho" para ver a extensão do corte. Há quem brinque com a situação, dizendo que Ronaldo levou a sua obsessão com a sua imagem a um novo nível, mas há também quem desvalorize a situação.

    SIC

  • O jogador de futebol que se tornou Presidente de um país

    Mundo

    George Weah tomou posse esta segunda-feira como Presidente da Libéria. Foi a segunda vez que o antigo futebolista concorreu ao cargo, depois de em 2005 ser derrotado pela candidata Ellen Johnson-Sirleaf. Foi o primeiro e único futebolista africano a receber uma Bola de Ouro. A história de George Weah também passou por Portugal, onde ficou conhecido pela agressão ao ex-jogador do FC Porto, Jorge Costa, em 1996.

    Ana Rute Carvalho

  • Decifrado pergaminho encontrado há 50 anos

    Mundo

    Investigadores israelitas reconstituíram e decifraram um dos dois manuscritos de pergaminhos do Mar Morto que nunca tinham sido interpretados desde que foram descobertos há meio século, anunciou a universidade israelita de Haifa.

  • Refeição de 1.100 euros em Veneza

    Mundo

    O centro de Veneza oferece os mais variados restaurantes. Com menu obrigatório, sem menu, com taxas, sem taxas, sentando ou em pé. Depois há aqueles restaurantes que cobram 1.100 euros por cinco pratos acompanhados por água. O caso aconteceu com quatro turistas japoneses, que depois de pagarem a conta, apresentaram queixa às autoridades. O presidente da Câmara da cidade italiana já disse que ia investigar a situação e, caso se confirmasse, prometeu que iria castigar os responsáveis.

    SIC