sicnot

Perfil

País

Fogo em Oleiros obriga à retirada de quatro pessoas e mobiliza 423 operacionais

O incêndio que lavra há oito horas no concelho de Oleiros, Castelo Branco, obrigou à evacuação de quatro pessoas em habitações isoladas, duas das quais estavam acamadas, disse à agência Lusa, o presidente da câmara local.

Google Maps

Google Maps

"Neste momento, aparentemente não existem povoações propriamente ditas em risco. Há meios no terreno que estão a protegê-las, segundo diz o comandante [CDOS de Castelo Branco] 'estarão protegidas'. De qualquer maneira, tiveram que evacuar preventivamente quatro pessoas de lugares mais isolados, duas das quais estavam acamadas", adiantou à agência Lusa o presidente da Câmara de Oleiros, Fernando Marques Jorge.

O incêndio, com uma frente ativa, que deflagrou às 13:43, na freguesia de Álvaro, concelho de]Oleiros, mobilizava, cerca das 21:45, um total de 423 operacionais, apoiados por 135 veículos, de acordo com a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

Segundo o autarca, a situação "não está fácil" no terreno, devido ao vento forte e terreno acidentado, e o incêndio progride em direção à vila de Oleiros.

"O vento não está a ajudar nada e o terreno também é muito acidentado", concluiu.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.