sicnot

Perfil

País

Fogo em Ourém ameaça três aldeias

Um incêndio que deflagrou hoje numa zona de pinhal no concelho de Ourém ameaçava, cerca das 19:00, três aldeias e estava a ser combatido por 243 operacionais e seis meios aéreos, de acordo com a Proteção Civil de Santarém.

PAULO CUNHA

Em declarações à agência Lusa, fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém disse que o fogo "mantém duas frentes ativas que ameaçam as aldeias de Casal de Baixo, Santoeira e Castelejo", todas no concelho de Ourém.

"O vento forte e as projeções das chamas" são as principais dificuldades sentidas no terreno.

O alerta foi dado às 14:39 e, no local, em Valongo, freguesia de Rio de Couros e Casal dos Bernardos, no distrito de Santarém, estão ainda 77 meios terrestres, tendo também sido mobilizados para o local o Grupo de Reforço para Ataque Ampliado de Setúbal, e o Grupo de Reforço para Combate a Incêndios Florestais de Lisboa e Agrupamento Sul.

No total, o balanço da Proteção Civil às 19:00 era de um total de 95 ocorrências por todo o país, sendo que estavam três incêndios em curso que mobilizavam 331 operacionais.

"A Proteção Civil destaca na sua página os incêndios florestais com mais de duas horas ou mais de 10 veículos operacionais ou ainda que envolvam três ou mais meios aéreos pesados".

Lusa

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.