sicnot

Perfil

País

SEF identifica vítimas de exploração em operação contra tráfico de seres humanos

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras identificou 50 pessoas que se supõe serem vítimas de exploração e constituiu arguidos dois suspeitos no âmbito de uma operação de combate a crimes de tráfico de seres humanos, divulgada hoje.

De acordo com o SEF, estas mulheres terão aceitado casar com cidadãos estrangeiros a troco de dinheiro.

De acordo com o SEF, estas mulheres terão aceitado casar com cidadãos estrangeiros a troco de dinheiro.

SIC

A operação de combate aos crimes de tráfico de seres humanos, imigração ilegal e angariação de mão-de-obra ilegal na zona Centro do país decorreu na terça-feira, no distrito de Leiria, onde, sob a direção do Ministério Público, foram realizados "18 mandados de busca domiciliária", divulgou o SEF em comunicado.

De acordo com o mesmo documento, as investigações "permitiram apurar a existência de um elevado número de cidadãos estrangeiros, maioritariamente comunitários, a trabalhar na atividade agrícola sem que a respetiva situação laboral esteja devidamente regularizada e a viver em condições pouco dignas, nalguns casos de insalubridade".

Durante a operação "foram identificados cerca de cinquenta cidadãos estrangeiros, sem a respetiva situação laboral devidamente regularizada" e, de acordo com o SEF, encontrada uma "significativa quantidade de documentação, que reforça os indícios de exploração laboral" e "uma substancial quantia monetária na posse de um dos suspeitos".

Na sequência da operação, foram constituídos arguidos dois cidadãos estrangeiros, suspeitos da prática dos crimes em investigação e estão em curso diligências "relacionadas com a adequada sinalização e referenciação de potenciais vítimas da atividade criminosa em investigação", acrescenta o comunicado.

A operação do SEF foi desenvolvida ao longo de cerca de vinte horas e envolveu mais de três dezenas de operacionais daquele serviço.

Lusa

  • Como se sobrevive à dor em Nodeirinho e Pobrais
    2:43
  • Raphäel Guerreiro vai continuar a acompanhar a seleção
    1:08
  • 74 mil alunos do secundário têm a vida "suspensa" 
    2:22

    País

    Enquanto o Ministério Público investiga a fuga de informação no exame nacional de Português do 12.º ano, 74 mil estudantes ficam com a vida suspensa. Se a fuga se confirmar, o exame corre o risco de ser anulado e as candidaturas ao ensino superior atrasam. O Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), responsável pelos exames, prometeu esclarecimentos para os próximos dias.