sicnot

Perfil

País

Dezoito escolas inflacionam notas dos alunos e outras 11 são demasiado exigentes

Dezoito escolas, na sua maioria privadas, deram notas aos seus alunos acima dos valores médios espectáveis, enquanto outras onze, maioritariamente públicas, deflacionaram as notas internas, o que poderá indiciar diferentes critérios de avaliação.

(Arquivo)

(Arquivo)

Lusa

Quando se candidatam ao ensino superior os alunos concorrem com as notas que obtiveram ao longo dos três anos do ensino secundário (notas internas) e com os exames nacionais.

Idealmente, as escolas deveriam ter critérios de avaliação semelhantes e o Ministério da Educação e Ciência criou um critério para tentar comparar esses critérios.

Assim, foram comparadas as notas internas atribuídas pelas escolas aos seus alunos com as notas internas atribuídas pelas outras escolas do país a alunos com resultados semelhantes nos exames nacionais.

Os resultados, que analisam quatro anos, apontam para onze escolas que sistematicamente dão notas mais baixas aos seus alunos e outras dezoito que estão a fazer o oposto, ou seja, a inflacionar as notas internas.

Entre as onze escolas "mais exigentes", sete são públicas: Escola Secundária José Estevão, em Aveiro; Escola Básica e Secundária da Batalha; Escola Secundária Damião de Goes, em Alenquer; Escola Secundária de São João do Estoril, em Cascais; Escola Secundária do Restelo, em Lisboa; Escola Secundária D. Pedro V, em Lisboa e Escola Secundária Dr.ª Felismina Alcântara, em Mangualde.

As privadas que deflacionaram as notas são Colégio Rainha D. Leonor; Colégio Dr. Luís Pereira da Costa; Escola Técnica e Liceal Salesiana de Stº António e Colégio Santo André.

Já no sentido oposto, há mais escolas privadas a dar melhores notas do que públicas: dos 18 estabelecimentos de ensino que inflacionam as notas internas, quatro são públicas e 14 privadas.

Entre as privadas, encontram-se o Colégio "D. Diogo de Sousa", Colégio João Paulo II, Externato "Carvalho Araújo", Colégio Sezim - Egas Moniz, Externato "Camões", Externato Liceal "Paulo VI", Colégio Novo da Maia, Colégio D. Duarte, Externato "Ellen Key", Colégio "Luso Francês", Externato "Ribadouro", Colégio da Trofa, Colégio do Minho e Colégio de Lamego.

Já as públicas que deram notas acima do espetável, encontram-se a Escola Secundária Júlio Dinis, em Ovar, a Escola Secundária de Fafe, Escola Secundária João de Deus, em Faro, Escola Secundária D. Afonso Sanches, em Vila do Conde.

Para esta análise foram analisados os exames nacionais dos 11.º e 12.º anos, de todas as disciplinas, realizados na 1.º fase pelos alunos internos de 558 escolas.

Estes dados estão disponíveis a partir de hoje no site www.infoescolas.mec.pt .

Lusa

  • Avioneta despenha-se em centro comercial de Melbourne

    Mundo

    Uma avioneta com cinco pessoas a bordo caiu num centro comercial perto do aeroporto de Essendon em Melbourne. Segundo a polícia do estado de Vitória tratava-se de um voo charter com destino a King Island, situada entre a parte continental da Austrália e a ilha da Tasmânia.

  • Acha que conhece o seu país?
    27:42
  • China descobre nova mutação do vírus H7N9

    Mundo

    A China descobriu uma nova mutação do vírus H7N9, considerada a mais mortífera das estirpes que causam a gripe das aves, sobretudo para aves vivas, não representando nova ameaça para os seres-humanos, informou hoje a imprensa estatal.

  • Jornalista bielorrusso come jornal após perder aposta

    Desporto

    Vyacheslav Fedorenko, editor de desporto de um importante jornal da Bielorrúsia, apostou que o Dinamo Minsk não chegaria aos play-offs da Kontinental Hockey League (KHL), uma liga internacional dominada por equipas russas. Perdeu e acabou a comer as próprias palavras, impressas em papel.

  • Os ensaios para a maior festa do ano
    1:16

    Mundo

    Em contagem decrescente para o Carnaval, no Rio de Janeiro, já começaram os ensaios para a maior festa do ano. A noite de testes na avenida Marquês de Sapucaí conta com desfiles gratuitos.