sicnot

Perfil

País

Meios portugueses regressam do fogo da região da Extremadura

Os meios portugueses envolvidos no combate ao fogo na província espanhola da Extremadura, dado hoje como estabilizado, vão regressar a Portugal, para responder a emergências florestais em território nacional, adiantou fonte do governo da Extremadura.

MARCIAL GUILLEN

"Os bombeiros portugueses vão regressar devido a algumas emergências florestais em Portugal", disse hoje à agência Lusa uma fonte oficial do Governo Regional (Junta) da Extremadura.

A entidade extremenha que coordena o combate aos incêndios, o Plano de Luta contra Incêndios Florestais da Extremadura (Plan INFOEX) declarou - hoje de madrugada - como "estabilizado" o incêndio da Serra da Gata, o que permitirá o regresso a suas casas dos desalojados na localidade de Hoyos. Estas pessoas regressarão a suas casas ao longo da manhã.

Como medida de precaução, o comando do INFOEX vai manter o Nível 2 de perigosidade do incêndio, "devido ao risco de reactivação do fogo em algum dos pontos do extenso perímetro do incêndio".

Os efetivos do INFOEX seguirão na zona afetada, apoiados por elementos da Unidade Militar de Emergência (UME) e profissionais da comunidade de Castilla-La Mancha.

Os meios aéreos vão continuar a descarregar água sobre as zonas afetadas.

Entretanto, a Guarda Civil espanhola informou que foram reabertos todos os acesos por estrada às populações afetadas pelo incêndio.

Portugal respondeu no sábado a um pedido de ajuda internacional de Espanha, com o envio de uma força conjunta de 104 operacionais e 32 viaturas.

A força conjunta saiu às 18:00 de hoje da Base de Apoio Logístico (BAL) de Castelo Branco.

O fogo, que deflagrou na quinta-feira na Sierra de Gata, consumiu mais de 6.500 hectares e foi combatido por centenas de bombeiros de várias regiões de Espanha, apoiados por 16 helicópteros e aviões de combate a incêndios.

Cerca de 1.000 habitantes da aldeia de Hoyos foram retirados sábado de manhã das suas casas, juntando-se aos cerca de 1.400 retirados na sexta-feira de outras duas aldeias próximas.

Lusa

  • Guterres condena onda de violência em Myanmar
    0:43

    Mundo

    António Guterres condenou a onda de violência e discriminação contra os rohingya em Myanmar, na abertura da assembleia-geral das Nações Unidas. O secretário-geral da ONU pediu ainda às autoridades do país para acabarem com as operações militares e protegerem a comunidade ameaçada.

  • Furacão Maria deixa rasto de destruição na ilha Dominica
    1:52
  • Peritos mundiais debatem doenças neurodegenerativas em Lisboa
    3:04
  • "O Benfica é atacado e não há ninguém que fale e que dê a cara?"
    6:05
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    Depois do artigo publicado no blog "Geração Benfica", Rui Gomes da Silva reiterou esta segunda-feira, em O Dia Seguinte da SIC Notícias, algumas das críticas à estrutura do clube. O antigo vice-presidente do Benfica defendeu Luís Filipe Vieira, Rui Vitória e Nuno Gomes. E acusou novamente Rui Costa de passividade e os vice-presidentes de não darem a cara. 

  • Governo aconselha pais a fazerem queixa de manuais em mau estado
    2:31
  • Acha que este padre sabe dançar?
    2:22