sicnot

Perfil

País

Governo abre hoje mais 103 Espaços do Cidadão em postos dos CTT

O Governo vai abrir hoje mais 103 Espaços do Cidadão na rede de lojas dos CTT -- Correios de Portugal, que acrescem aos 24 implementados em 2013 para complementar a oferta de atendimento aos serviços da Administração Pública.

Segundo fonte do gabinete do ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional, os novos Espaços do Cidadão localizam-se um pouco por todo o território nacional, destacando-se os distritos de Évora (12), Setúbal (12), Faro (11), Beja (10) e Lisboa (10).

O distrito de Portalegre vai receber nove espaços, seguindo-se Bragança e Guarda (8 cada), Viseu (6), Viana do Castelo (5), Vila Real (4), Braga (3), Santarém (2), Castelo Branco, Leiria e Porto (1 cada).

"Até final de 2015 serão instalados mais 73 e em 2016 serão mais 100" Espaços do Cidadão, anunciou a mesma fonte.

A parceria entre o Governo e os CTT começou no final de 2013 ao abrigo de um projeto-piloto que implementou 24 Espaços do Cidadão em estações dos correios, inicialmente em Lisboa e depois no resto do país.

"No período de um ano de funcionamento, o conjunto das lojas que receberam este piloto registaram cerca de 40.000 atendimentos", informou o gabinete do ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro.

Os Espaços do Cidadão visam aproveitar a oferta de serviços públicos 'online' da Administração Pública para, através de parcerias com autarquias ou lojas dos CTT, prestar um atendimento digital assistido a pessoas que têm dificuldade em lidar com novas tecnologias.

A criação de uma rede de Espaços do Cidadão enquadra-se na Estratégia de Reorganização dos Serviços de Atendimento da Administração Pública, através do Programa Aproximar, que tem por objetivo "fazer a racionalização do território, aproveitando as potencialidades da tecnologia".

Em janeiro deste ano, foi assinado um protocolo entre os CTT e a AMA -- Agência para a Modernização Administrativa, prevendo a instalação de 300 Espaços do Cidadão nos postos de correio: 200 no ano em curso e mais 100 em 2016.

De acordo com a mesma fonte, no primeiro semestre de 2015, a AMA formou 204 funcionários dos CTT para poderem "prestar um serviço de atendimento digital aos cidadãos em cerca de 160 serviços públicos", prevendo-se que, a curto prazo, sejam mais de 200 os serviços disponíveis.

Nos Espaços do Cidadão, é possível, com uma única senha e ajuda de um funcionário, tratar de assuntos como requisição de certidões, pedido do cartão europeu de seguro de doença, renovação da carta de condução ou mudança de residência no Cartão o Cidadão.

Adicionalmente, a rede dos Espaços do Cidadão está a ser desenvolvida em parceria com os municípios.

Desde maio do ano passado, foram celebrados, 167 protocolos com câmaras municipais para a instalação de 545 Espaços do Cidadão em parceria com municípios, cobrindo o território de 20 Comunidades Intermunicipais e duas Áreas Metropolitanas.

Foi também assinado um protocolo com uma entidade da Administração Central - O Alto Comissariado para as Migrações - para a instalação de dois Espaços do Cidadão, um em Lisboa e outro no Porto.

  • Esquerda contra a venda do Novo Banco
    1:51

    Economia

    O futuro do Novo Banco promete agitar a maioria de esquerda nas próximas semanas. O Bloco de Esquerda e o PCP estão contra os planos de privatização e insistem que a solução é nacionalizar o banco. O Bloco de Esquerda defende que privatizar 75% é o pior de dois mundos. Já o PCP diz que o banco deve ser integrado no setor público.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Pescador resgatado de um lago gelado na Estónia
    1:08
  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.