sicnot

Perfil

País

Gémeos abandonados pela mãe no hospital de Vila Real

Gémeos abandonados pela mãe no hospital de Vila Real

O Ministério Público está a investigar o caso de uma mãe que deixou dois bebés recém-nascidos no hospital de Vila Real sem dar qualquer explicação. Os meninos são gêmeos e estão clinicamente estáveis ao cuidado dos serviços de neonatologia.

O Ministério Público (MP) já iniciou as "diligências adequadas" à proteção dos gémeos recém-nascidos que foram deixados pela mãe no Hospital de Vila Real, informou hoje à agência Lusa fonte da Procuradoria-Geral da República.

Uma mulher de Chaves deixou no domingo dois meninos no Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD), um dia depois do nascimento das crianças.

Contactada pela agência Lusa, fonte da Procuradoria Geral da República disse que o MP já tem conhecimento do caso e iniciou na terça-feira as "diligências adequadas à proteção dos menores e à obtenção dos elementos necessários à instauração dos competentes processos no âmbito do Tribunal de Família e Menores e, eventualmente, no âmbito criminal".

O CHTMAD disse que os dois meninos nasceram no sábado e foram imediatamente internadas na Unidade de Neonatologia do Hospital de São Pedro.

A mãe das crianças ausentou-se do serviço de obstetrícia no dia a seguir, no domingo, "sem dar qualquer informação ao CHTMAD sobre o motivo da saída ou intenção de procedimento futuro".

O centro hospitalar referiu que as crianças "estão desde o nascimento entregues ao cuidado do CHTMAD, clinicamente estáveis, e a receber os cuidados médicos adequados à respetiva situação clínica".

De acordo com a fonte, foram "já feitas as devidas comunicações às entidades competentes, estando o CHTMAD a cumprir escrupulosamente as orientações entretanto recebidas", sem, no entanto, especificar quais são essas orientações.

Com Lusa

  • Inspetores do SEF cansados das promessas do Governo
    1:00

    País

    O sindicato do SEF garante que a segurança contra o terrorismo vai ser assegurada na greve de quinta-feira e sexta-feira nos aeroportos. Acácio Pereira, do sindicato, diz que os inspetores são quase escravos e que estão fartos das promessas do Governo. A greve deverá afetar cerca de 30 mil pessoas.