sicnot

Perfil

País

"Lisboa na Rua" anima jardins e praças da capital com espetáculos culturais

O "Lisboa na Rua" volta a animar os principais jardins e praças da capital com espetáculos de música, cinema e artes visuais de entrada livre, a partir de 20 de agosto até 20 de setembro.

SIC

Desde 2009 que o "Lisboa na Rua" transforma, durante o verão, os espaços ao ar livre da capital em "lugares de usufruto cultural, valorizando a riqueza patrimonial", referiu fonte da Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC), responsável pela organização.

O Jardim do Arco do Cego, o Parque da Quinta das Conchas, o Largo da Estação do Rossio, o Largo de São Carlos, o Jardim das Esculturas do MNAC - Museu do Chiado e a Ribeira das Naus são alguns dos palcos desta programação cultural ao ar livre, que proporciona espetáculos de jazz, fado, cinema ao ar livre, teatro, exibição de filmes clássicos e instalações de artes visuais como a videoarte e a fotografia.

A 7.ª edição do "Lisboa na Rua" abre na quinta-feira, 20 de agosto, às 19:00, no Jardim do Arco do Cego, com um concerto da Orquestra AngraJazz integrado no ciclo 'A Arte da Big Band', que apresentará todas as quintas-feiras "dezenas de músicos que compõem cinco grandes orquestras de jazz", informou a organização, destacando a 'big band' alemã Thoneline Orchestra.

De acordo com o programa, às sextas-feiras vão decorrer as 'Noites de Verão' com concertos no Jardim das Esculturas do MNAC -- Museu do Chiado, e aos sábados 'Clássicos na Rua', em diversos espaços da cidade com "o estilo 'ragtime', contando ainda com um concerto em homenagem a Frank Zappa".

O 'Fitas na Rua' vai projetar ao ar livre "nove filmes sobre Lisboa", aos sábados e domingos, às 22:00, começando com um filme de 1949, "Heróis do Mar", de Fernando Garcia.

Este ano, o "Lisboa na Rua" tem uma parceria com o Teatro Nacional D. Maria II, o 'Entrada Livre' com atividades diversas dentro e fora do teatro, de 11 a 13 de setembro, desde conversas, concertos na varanda, leituras na fachada do Palácio da Independência e a estreia de cinco peças de teatro.

A 'Cidade das Tradições', um programa dedicado às famílias com jogos, cinema, folclore, brinquedos, artesanato, dança e exposições, integra pela primeira vez o "Lisboa na Rua" para "valorizar e difundir as práticas culturais tradicionais e do património português", comunicou a organização.

O fado volta a integrar a programação do "Lisboa na Rua", em parceria com o Museu do Fado, apresentando cinco fadistas: Raquel Tavares, Amélia Muge, Kátia Guerreiro, António Chainho e Jorge Fernando.

O festival parisiense 'Kiosquorama', o 'Fuso' - festival anual de vídeo arte internacional de Lisboa e o 'Flâneur', um projeto de arte no espaço público, estão também inseridos na programação cultural do "Lisboa na Rua", disponível no 'site' www.lisboanarua.com.

Segundo fonte da EGEAC, o "Lisboa na Rua" recebeu "cerca de 20.300 espetadores" em 2014, pelo que a expectativa para esta 7.ª edição é de "continuar a contar com o interesse e entusiasmo de um público seguidor e muito diverso: famílias, casais, grupos de jovens, portugueses, estrangeiros".

Organizado pela EGEAC, em parceria com o Turismo de Lisboa e o Turismo de Portugal "pela importância que tem para o fluxo turístico nesta época do ano", a programação cultural resulta de um investimento "no valor de 250 mil euros".

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57
  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31
  • 245 saltam de ponte de 30m no Brasil para Recorde do Guiness
    1:56
  • Antigos presidentes dos EUA angariam 26 milhões para vítimas dos furacões
    0:58

    Mundo

    Os cinco antigos presidentes dos Estados Unidos da América ainda vivos juntaram-se para ajudar as vítimas dos furacões. Bill Clinton e Barack Obama lembraram as vítimas dos furacões e elogiaram o espírito solidário dos norte-americanos. Os antigos presidentes norte-americanos lançaram o apelo no início do mês passado e já conseguiram angariar cerca de 26 milhões de euros.