sicnot

Perfil

País

PSP identificou em Gondomar suspeitos de venderem azulejo em vez de telemóveis

A PSP anunciou esta sexta-feira ter identificado, em São Cosme, Gondomar, dois suspeitos de burla que vendiam azulejo em vez de telemóveis numa feira, tendo apreendido, entre outros objetos, uma máquina de corte de tijoleira.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Michael Kooren / Reuters

Em declarações à Lusa, fonte do Comando Metropolitano da PSP do Porto esclareceu que os dois homens, de 26 e 38 anos, "mostravam os telemóveis" aos potenciais compradores, "negociavam o valor" da venda e, depois, entregavam ao cliente "um pedaço de tijoleira cortado à medida do telemóvel, envolvido em papel e colocado dentro de uma bolsa preta".

A mesma fonte explicou que os homens foram "intercetados nas imediações da feira" na sequência da "denúncia de alguém que tinha sido enganado" e que só não foram detidos por "não terem sido apanhados em flagrante delito".

Na operação desenvolvida pela Esquadra de Intervenção e Fiscalização Policial da Divisão de Gondomar foram apreendidos "dois telemóveis, três pedaços de azulejo cortado à medida dos telemóveis apreendidos, 17 bolsas e uma máquina de corte de azulejo e tijoleira", acrescenta a PSP.

Em comunicado, o Comando Metropolitano da PSP do Porto refere ainda ter identificado um vendedor ambulante e um desempregado, residentes no Porto, suspeitos de burla por venderem "placas de azulejo dentro de bolsas como se de telemóveis se tratassem".

Os homens foram "intercetados na rua Padre Andrade e Silva, em São Cosme, Gondomar", distrito do Porto, "nas proximidades da feira semanal de Gondomar, na sequência de informações dando conta de que andavam a burlar pessoas", acrescenta a PSP.

De acordo com a PSP, os suspeitos estão "referenciados" por aquela força policial "pela prática concertada" daqueles crimes.

Lusa

  • Presidente da Proteção Civil demitiu-se

    País

    O Presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), Joaquim Leitão, pediu esta quarta-feira a demissão com efeitos imediatos. A carta de demissão foi enviada para o Ministério da Administração Interna, no entanto, uma vez que a ministra também se demitiu, o documento seguiu para o gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

  • "Foi um golpe muito forte"
    1:41
  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão

  • SIC acompanhou Francisco George no último dia como diretor-geral da Saúde
    6:20