sicnot

Perfil

País

Sampaio da Nóvoa diz que não vai ajustar campanha em função de apoios políticos

O anunciado candidato à Presidência da República Sampaio da Nóvoa disse hoje entender que os apoios dos partidos só sejam anunciados após as legislativas e vincou que não vai ajustar a sua candidatura em função dos apoios que obtenha.

Lusa/Arquivo

Lusa/Arquivo

FERNANDO VELUDO

"Não vou andar a fazer guinadas nem para a direita nem para a esquerda, nem para um lado ou para o outro em função do apoio disto ou daquilo", disse à Lusa, acrescentando que aceitará todos os apoios e de todos os portugueses que se sintam em sintonia com a sua candidatura.

À margem de um debate sobre a descentralização cultural que decorreu em Tavira, Sampaio da Nóvoa apontou que a sua candidatura precisa de se reforçar e ganhar "uma projeção e uma dimensão de vitória".

"É evidente que isso se faz também com os partidos que queiram aderir a este processo e obviamente que isso é uma condição importante", referiu, sublinhando que a linha e princípios da candidatura estão definidos e que não os irá "alterar um milímetro".

O secretário-geral do PS, António Costa, não se tem pronunciado sobre o apoio socialista a candidatos presidenciais, garantindo que só o fará "no momento próprio" e que "não será fator de divisão".

Este domingo, o candidato parte de bicicleta de Vilamoura numa iniciativa em que pretende estreitar contacto com a população algarvia.

Em dois dias, Sampaio da Nóvoa pretende fazer duas etapas (Vilamoura - Olhão e Olhão -- Tavira), em quatro praças diferentes e vários pontos de paragem.

"Vamos ensaiar uma espécie de diálogo entre as questões do que são estilos de vida saudáveis a partir do uso da bicicleta (...) com a ideia da cidadania", concluiu.

Dada a proximidade das eleições legislativas, Sampaio da Nóvoa pretende acalmar as iniciativas da sua campanha até 04 de outubro, sublinhando que este é momento eleitoral prioritário em que os portugueses têm de estar concentrados.

Lusa

  • Presidente da Proteção Civil demitiu-se

    País

    O Presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), Joaquim Leitão, pediu esta quarta-feira a demissão com efeitos imediatos. A carta de demissão foi enviada para o Ministério da Administração Interna, no entanto, uma vez que a ministra também se demitiu, o documento seguiu para o gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

  • Provavelmente o melhor golo da noite de Liga Europa
    1:24
  • Vitória de Guimarães mais longe dos 16 avos de final
    1:48
  • O perfil dos novos ministros
    3:22

    País

    Pedro Siza Vieira e Eduardo Cabrita são os dois novos ministros que tomam posse no próximo sábado. Ambos têm uma particularidade: são amigos de longa data do primeiro-ministro António Costa.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão

  • Fogos na Califórnia provocaram 42 mortos e perdas acima de mil milhões de dólares

    Mundo

    O comissário dos seguros da Califórnia afirmou esta quinta-feira que as perdas provocadas pelos incêndios que dizimaram extensas áreas deste Estado norte-americano excedem os mil milhões de dólares (844 milhões de euros). Estes incêndios, que começaram no condado de Sonoma County, já provocaram a morte a 42 pessoas no mês de outubro.

  • Quem está ao lado de Trump? Melania ou uma sósia?

    Mundo

    A especulação surgiu no Twitter: estaria Trump acompanhado de uma sósia de Melania para ocultar a ausência da mulher num evento oficial? A teoria da conspiração ganhou depois força nas redes sociais. Julgue por si mesmo.

    SIC

  • Norte-americano entrega-se após perder aposta com a polícia no Facebook

    Mundo

    Um jovem de 21 anos procurado pela polícia norte-americana entregou-se, esta segunda-feira, depois de perder uma aposta com a polícia, no Facebook. Michael Zaydel prometeu entregar-se se uma publicação sobre o seu desaparecimento chegasse às mil partilhas, na rede social. O jovem norte-americano prometeu ainda levar uma dúzia de donuts, caso os agentes da cidade de Redford conseguissem ganhar a aposta.

    SIC