sicnot

Perfil

País

Julho de 2015 foi terceiro entre os dez mais secos desde 1945

O mês de julho deste ano ocupa o terceiro lugar na lista das dez situações de seca mais gravosas neste mês desde 1945, com 79% do território em seca severa ou extrema, segundo um especialista do IPMA.

Em segundo lugar, está o julho de 2012, com 84% de seca severa ou extrema, a que se junta 15% de seca moderada. (Arquivo)

Em segundo lugar, está o julho de 2012, com 84% de seca severa ou extrema, a que se junta 15% de seca moderada. (Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

O diretor de Meteorologia e Geofísica do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), Pedro Viterbo, analisou para a agência Lusa os valores que revelam os estados mais acentuados de seca no final dos meses de julho dos últimos 70 anos em Portugal continental.

A liderar a lista dos meses de julho mais secos está o de 2005, quando a totalidade do território estava em seca severa ou extrema, os dois níveis mais gravosos.

Em segundo lugar, está o julho de 2012, com 84% de seca severa ou extrema, a que se junta 15% de seca moderada.

Os três meses de julho mais secos situam-se no atual século, mas no lugar seguinte, o quarto, encontra-se o ano mais antigo do grupo, ou seja, 1945, quando a seca severa ou extrema se alargou a 77% do país, segundo os dados do IPMA.

Em 1965, a seca chegou a 71% do território e em 1995 metade de Portugal registava esta situação, enquanto em 1992, esta percentagem ficou nos 39%.

O último lugar da lista é ocupado por julho de 1999, quando a seca só chegou a 5% do país.

A escala utilizada pelo IPMA para medir os níveis seca contempla quatro níveis de intensidade: seca fraca, seca moderada, seca severa e seca extrema.

Esta escala baseia-se num índice que tem em conta dados da quantidade de precipitação, temperatura do ar e capacidade de água disponível no solo.

Em 31 de julho passado, 21% do território estava em situação de seca fraca a moderada e 79% em situação de seca severa a extrema.

Neste mês manteve-se a situação de seca meteorológica em todo o território que se verifica desde março.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.